Conta De Negociação De Opções De Prática Livre

Dividendos deixam você mais pobre (ou menos rico) em empresas boas!

TL;DR: em empresas com P>VPA e portanto ROE>earnings yield, como é o caso da maioria das empresas boas, você terá mais patrimônio com ela retendo lucros e reinvestindo e menos patrimônio recebendo dividendos e comprando mais ações dela.
Se alguém de vocês já leu as letters do Buffet, leu o seguinte na carta de 1992: "the best business to own is one that over an extended period can employ large amounts of incremental capital at very high rates of return."
Essa frase inspirou a simulação do tópico.
Vamos partir de três empresas boas com ROE de 15% cada uma, sem dívidas, cada uma atuando dentro de uma franchise*, ou seja, com vantagem competitiva durável e possibilidade de reinvestir dentro de core business ou negócios adjacentes na mesma taxa de retorno (ou seja, patrimônio adicional aufere mesmo ROE). Em resumo: empresas BOAS, cujo destino vai ser alterado só pelo payout. Todas com histórico até hoje parecido, mais de 5 anos de lucros consistentes, setores comparáveis, small caps com amplo espaço para crescer e negociadas nos seguintes parâmetros: LPA 0,375, P/L 14, VPA 2,5, Preço por ação 5,25 (parâmetros aleatórios consistentes com qualquer empresa da bolsa). Então cada uma coloca um compromisso diferente no estatuto:
Você pode até imaginar que são empresas idênticas, a mesma empresa com mesmo nome e produtos, apenas em 3 universos paralelos, em cada universo tiveram uma política diferente de dividendos. Tudo nelas é idêntico, o sucesso delas vai ser o mesmo (cada real retido na empresa vai retornar o mesmo ROE em termos de incremento de lucro).
Você tem R$5.250 para comprar mil ações de alguma delas e segurar por 30 anos, qual compra? Qual delas vai ter maior retorno após 30 anos - considerando reinvestimento de dividendos para as que pagarem? Será que é tudo igual se reinvestir os dividendos? Quem é caçador de investimentos voa direto na de 6,8% de yield igual mosca buscando esterco, mas termina como?
Segue o resultado final.
Segue a evolução ao longo do tempo.
A conclusão é óbvia: o pagamento de dividendos fez os acionistas de B e C mais pobres em relação à A. Quem caçar dividendos vai se agarrar na empresa C e perder dinheiro.
São exatamente as mesmas empresas. Mesmos parâmetros iniciais e mesmo sucesso no reinvestimento do lucro, a única diferença é a taxa de retenção e reinvestimento do lucro no próprio negócio. A empresa A, que reteve e reinvestiu todo o lucro entregou 66x o capital, típica empresa de crescimento. Já a empresa B que pagou quase tudo em dividendos entregou 9x mesmo usando a totalidade dos dividendos para comprar mais ações.
Por que isso aconteceu com as empresas? O acionista da Empresa C terminou com mais de 7 mil ações dela, mas de uma empresa com LPA de apenas 0,47 pois não havia capital para investir na expansão dos negócios. Já o acionista da Empresa A terminou com as mesmas 1000 ações, mas com LPA de 24,83 pois reinvestiu no negócio.
O reinvestimento dos dividendos entrega menos valor que a simples retenção primária na empresa pois é raro uma empresa boa ser listada com P/VPA de 1 ou menos, e qualquer múltiplo maior que 1 significa que receber dividendos e comprar mais ações será desvantajoso frente à empresa reter e reinvestir diretamente. Claro que alguém pode garimpar algum exemplo de empresa boa que em algum momento não esteve negociada assim, tanto faz, em 99% do tempo vão ter essa característica e a mensagem se mantém. E eu ainda fui bem conservador nos múltiplos, na prática quanto melhor for a empresa mais os dividendos vão te deixar pobre pois os múltiplos na prática são mais esticados que os do exercício, o que aumentaria a diferença. Ou seja: quanto melhor a empresa, mais a retenção do lucro vai ser vantajosa e o dividendo vai ser desvantajoso.
Vou repetir para quem não leu direito: quanto melhor for a empresa mais os dividendos vão te deixar pobre.
E se depois de 30 anos todas começam a pagar 90% de payout (A e B atingem maturidade)? Segue o resultado de renda passiva anual que cada uma daria com payout de 90%:
Dividendos significam menos dividendos futuros.
Ou seja, quem ficou caçando dividendos terminou com menos renda de dividendos. Isso já é fenômeno conhecido em análise de empresas de crescimento. Essa é a cereja do bolo: se o seu objetivo é maximizar dividendos, não fique caçando dividendos. Empresas boas de crescimento terminam pagando mais dividendos em sua maturidade.
Segue a memória de cálculo para fins de referência: https://i.imgur.com/l8KbzkZ.png
A empresa C poderia alavancar com dívida para crescer mesmo com payout alto? Poderia. Mas para manter a comparação justa, fazendo a mesma alavancagem nas outras duas empresas vai fazer a C perder da mesma forma pois o total de reinvestimento próprio + terceiros ainda seria menor na empresa C. O exercício é sem dívida e sem inflação para simplificar o exemplo, mas pode colocar dívida e inflação no meio que haverá o mesmo resultado. Pode fazer a cotação ser uma senóide em volta de preço junto que vai ser o mesmo resultado. Pode considerar teste de sensitividade para diversos cenários de juros afetando valuation que vai ser o mesmo resultado. A empresa que retém todo o lucro e reinveste com alto retorno vai entregar mais retorno ao acionista que outra que, ceteris paribus, paga muitos dividendos.
Isso não é invenção minha, já é conhecimento difundido. Eu apenas fiz um exemplo ilustrado e um título chamativo mas verdadeiro. Sempre dizemos que dividendos tanto faz, na verdade é até pior: em empresas boas dividendos te deixam mais pobre que não-dividendos se a empresa podia reter e reinvestir.
Sempre que uma empresa paga dividendos, seja por razão real de negócios como não ter projetos de investimento atrativos, ou por uma razão externa aos negócios como acordo de acionistas ou controlador quebrado exigindo dividendos (lembram da OI? Eletrobrás?), ela estará gerando menos valor ao acionista que o best business to own que retém TUDO e reinveste. E ainda falando em Buffet: a Berkshire Hathaway foi uma máquina de fazer milionários justamente por ser uma máquina de reter capital e reinvestir bem. Se pagasse dividendos não teria nem perto o crescimento histórico que obteve.
Isso não é difícil de verificar no mundo real como acontece. Quantos de vocês já trabalharam em setor financeiro ou consultoria em alguma empresa real? Quem já teve qualquer contato com as aprovações de investimentos para o ano seguinte sabe que é comum ver TIRs acima de 20%, sejam em projetos pequenos como o retrofit de uma máquina, sejam em projetos grandes como nova fábrica, nova linha de produtos, comprar um concorrente, etc. A questão é: as opções de investimento atrativo em uma empresa costumam ser maiores e com melhor retorno que as opções que um pequeno investidor vai ter diante de si no mercado de capitais, e a empresa só deve pagar dividendos caso tenha excesso de caixa e não tenha nenhum projeto atrativo na relação risco-retorno para o presente ou no horizonte próximo.
"Aaaaaaaaah mas não pode usar mesmo P/L em todas", tudo bem, tanto faz, não muda nada. Se botar P/L 40 para A, 15 para B e 10 para C os ganhos finais resultam em A 66x, B 23x, C 19x. A mensagem se mantém. Mesmo com dividend yield de 9,5% nesse caso a empresa que paga mais dividendos ainda retorna menos de 1/3 que a empresa A.
E quem precisar de fluxo de caixa? Fazer vendas mensais da empresa A desde o primeiro período, no mesmo valor líquido (após IR) dos dividendos da empresa C (ou seja, entregando mesmo fluxo de caixa líquido para o investidor usufruir) mesmo assim termina com mais patrimônio no longo prazo. Só fica atrás nos anos iniciais.
Mas então por que existe a tara por dividendos? Simples: por motivos históricos e viés psicológico.
  1. Motivos históricos mundiais: no passado os balanços das empresas não eram exatamente confiáveis, as auditorias não eram exatamente precisas e o dividendo era a única materialização confiável do direito econômico do acionista. Junto com o lucro contábil dos últimos 10, 15 ou 20 anos era sempre observado também o dividendo por ação, que para uma empresa ser considerada boa devia ser pago todos os anos, em quantidades crescentes. Já fazem algumas décadas (mais nos EUA, menos no BR) que não é necessário se agarrar a dividendos, os balanços são suficientemente confiáveis para serem usados como parâmetro. Essa tara já caiu nos EUA principalmente pela taxação de dividendos, pagar dividendo destrói valor quando comparado com recompra (e para lá nos vamos, aparentemente, no Brasil em breve).
  2. Motivos históricos no Brasil: nos '70 e '80, com inflação galopante, a análise de balanços era sempre muito mais difícil e prejudicada, e nosso mercado de capitais era um ovo, com enormes distorções. O que havia de concreto era calcular dividend yield em dólar. Por que deu certo? Justamente por época de grande incerteza e mercado de pouca liquidez haviam enormes distorções, era comum pegar empresas com 20%+ de yield em dólar, distorções que não existem mais. Eu já ouvi dinossauros da bolsa me falando em yields de 20% e achava que era história de pescador, só acreditei depois de ler o livro do Décio Bazin que mostra justamente isso (livro recomendado a todos, peça de história do mercado de capitais nacional).
  3. Viés psicológico: o dividendo é fácil de visualizar, ele está na sua conta, aumenta seu saldo. Você acha que ganhou alguma coisa. É o clássico "o que se vê". O lucro retido e reinvestido não tem uma fácil visualização como essa e nem aumenta o saldo da sua conta aqui e agora, é "o que não se vê", mas aumenta seu patrimônio futuro na medida em que os projetos nos quais a empresa investiu vão dando resultado.
Finalizo comentando que, como o próprio Buffet comenta na letter de 1992, empresas capazes de empregar quantidades crescentes de capital com alta taxa de retorno são raras. O mais comum são as empresas de alto retorno acabarem precisando de pouco capital (ou se não pouco, menos do que geram sozinhas). Porém as poucas que conseguem isso são as que entregam 50, 100, até 1000x no longo prazo. A melhor forma de ter elas na carteira é tendo uma carteira diversificada, não tentar adivinhar nada.
AVISO AOS BURROS: não é pra se deslumbrar com isso e considerar que payout correto é 0,00%. Se a manada 1 corre atrás de dividendos, não seja a manada 2 que quer ir contra mas termina perdendo mais ainda. Dividendos não são ruins nem bons per se. A empresa reter e investir com sucesso gera mais valor - mas isso pode não ser possível para aquela empresa naquele momento. A decisão correta depende da gestão. Se não há projetos - de todos os níveis, sejam operacionais, táticos ou estratégicos - com taxa de retorno atrativa frente aos riscos a empresa vai devolver o lucro aos acionistas na forma de dividendos e isso é o correto a fazer. Além disso algumas empresas trabalham crescimento com dívida e pagam boa parte do lucro em dividendos (ex: Taesa, Fleury, etc), também não quer dizer ser necessariamente ruim nem bom, se a empresa não tiver projetos nos quais aplicar o capital adicional que a retenção traria (além do que já investiu com alavancagem) então está correto pagar, caso contrário está destruindo valor. O resumo é: invista em empresas boas em cuja gestão você confie, dessa forma não importa se pagar ou não dividendos, você ao se tornar sONcio aceita que estão tomando a melhor decisão naquele momento.
* há teorias que indicam que crescimento fora de franchise, fora de vantagem competitiva durável, é meramente empilhar capital portanto sem valor econômico real, por isso do exemplo usar essa condição.
submitted by celtiberian666 to investimentos [link] [comments]

Quais os melhores ETFs da bolsa americana com alto índice de rendimento?

Ando estudando um pouco mais a bolsa americana em busca de boas opções para diversificar parte dos meus investimentos e dolarizar um pouco até pra tentar me blindar dos ricos e incertezas da bolsa brasileira (e nem estou me referindo a crise do covid rs. Sou meio pé atrás com todo esse governo). Abri conta recentemente na Avenue e tenho gostado bastante. Acho bem prática.
Mas enfim, voltando ao assunto dos ETFs: naturalmente fui logo atrás dos fundos S&P 500 e também alguns fundos SMALL CAPS; meio que estou aberto aos riscos, frente a possibilidade de bons ganhos a médio e longo prazo.
Vocês teriam alguma sugestão? Vou compartilhar alguns abaixo que ando estudando e tenho considerado eles bem interessantes, tanto pelo desempenho histórico e também pelas holdings que eles representam.
ETFs S&P 500
SPHQ Invesco S&P 500 Quality ETF IVV iShares Core S&P 500 ETF
ETFs Small Caps
IJR iShares S&P Small-Cap ETF
JKK SPDR Bloomberg Barclays High Yield Bond ETF
SILJ ETFMG Prime Junior Silver Miners ETF
submitted by kriskastro to investimentos [link] [comments]

7 dicas para manter seu cavalo saudável

Manter um cavalo saudável é desejo de qualquer pessoa que tenha ou lide com este animal magnífico no dia a dia.

Os cavalos são animais incrivelmente úteis para o trabalho no campo, para fins esportivos, (esportes equestres) ou mesmo para cavalgadas. São também animais fáceis de tratar e fazer amizade, sendo usados até mesmo em práticas terapeûticas.

Além disso, os cavalos podem ser criados com um grande potencial de produtividade e valorização na venda. Não importa de qual perspectiva se observe, não há forma de não amar os cavalos.

Mas, para que o animal viva bem e renda o máximo possível é fundamental que você que cria cavalos ou apenas possui alguns cavalos saiba como manter seu cavalo saudável.

Pensando nisso, separamos sete dicas de cuidados para cavalos que vão ajudar muito você nesta tarefa.

1# Alimentação adequada: primeiro passo para manter seu cavalo saudável
Fornecer alimentação adequada, balanceada e na quantidade certa é um ponto fundamental para quem deseja ter um cavalo saudável sempre.

Como qualquer outro ser vivo, cavalos precisam de uma nutrição balanceada e adequada. Que consiga fornecer a energia que precisa no dia a dia, além de preservar sua saúde, acelerar seu desenvolvimento e melhorar a produtividade.

Praticamente todo criador de cavalos sabe da importância disso, mas não são todos que entendem de nutrição ou da dieta adequada para seus cavalos.

Você que é apaixonado por cavalos e quer o melhor para seu companheiro deve seguir algumas regras e critérios a na hora de montar a dieta do seu cavalo.

Mas antes, leve em consideração a raça do animal, idade, peso do cavalo, do clima no qual ele está, do que está disponível localmente e o tipo de atividade que ele desempenha, ou seja entender as necessidades nutricionais do seu cavalo.

Em relação a oferta de alimento, é regra geral que ela deve ser administrada em pequenas quantidades ao longo do dia. Feno, grãos, sais, aveia e minerais devem ser distribuídos em uma dieta balanceada para a correta nutrição do cavalo.

Segundo André Cintra, que Médico veterinário, especialista em nutrição equina, o cavalo é um animal herbívoro, que se alimenta de vegetais, chamados de volumosos, ou ainda de “verde”.

André fala que o aparelho digestivo do cavalo possui particularidades onde são exigidos altos teores de fibras na dieta para que ele possua uma ótima digestão. As fibras são conseguidas através do volumoso que pode ser oferecido ao animal através de diversas formas (capim fresco, feno, silagem, cana-de-açúcar).

Deve também oferecer-lhe os complementos de uma alimentação (ração), para que possam atingir os níveis energéticos, protéicos, vitamínicos e minerais suficientes para suprir suas necessidades, mas sempre respeitando sua natureza e valorizando o volumoso.

Caso seja necessário, pode complementar as necessidades de cavalo utilizando suplementos nutricionais, como por exemplo probióticos, óleos vegetais, vitamínicos, minerais, energéticos, protéicos, etc.

Cada um deles tem sua especificidade e deve ser ofertado conforme a real necessidade do cavalo.

Porém, quando a alimentação do cavalo é feita com ração é fundamental que você fique atento e trabalhe com um especialista. Pois a ração deve ser aquela recomendada com base em análise das necessidades nutricionais do equino.

Mais de 95% das cólicas em cavalos são causadas por um mau manejo alimentar, que o homem impõe ao animal.

Para saber mais sobre alimentação para equinos, confira esta matéria com um guia completo.

1.1# Hidratação do animal
A água também deve ser fornecida em quantidades suficientes ao longo do dia para os equinos. E é importante que a água esteja fresca, limpa e sempre à disposição para consumo do animal.

2# Adote um programa de exercícios diários de acordo com a raça do seu cavalo e para qual fim vai usá-lo
É quase uma regra da Mãe Natureza que praticamente todos os seres vivos precisam de movimento e atividade.

Seres humanos, por exemplo, precisam de alguma atividade física diária para se manterem saudáveis. Por saudáveis pode ser entendido os estados onde o corpo possui um funcionamento geral ótimo. Que confere saúde, energia e boa disposição para o dia a dia.

Da mesma forma que as pessoas, cavalos também precisam de mais movimentos que os humanos para manterem a saúde.

A nossa segunda dica para manter um cavalo saudável é a de estabelecer e manter um regime diário de exercícios.

O tipo de exercício, bem como a intensidade, não são os fatores mais importantes aqui. O criador pode submeter o cavalo diariamente a um galope ou caminhada prolongada por uma trilha.

A intensidade dos exercícios pode variar conforme questões como o tipo de trabalho que o cavalo desempenha e o objetivo que quer atingir. Um cavalo de corrida, por exemplo, certamente terá que praticar exercícios que melhorem suas capacidades e, portanto, são naturalmente mais intensos.

Se você desejar, pode perguntar ao seu veterinário de sua confiança por exercícios adequados para a idade, peso e nível de atividade do cavalo.

3# Cuidados adequados com as patas do cavalo
As patas de um equino merecem uma atenção e cuidado especial na busca por manter um cavalo saudável.

As patas são uma área que simplesmente merecem um cuidado redobrado. Afinal, são elas que sustentam o peso do animal e precisam sempre estar em ótimas condições. O que pode ser alcançado com a prática de exercícios regulares que fortaleçam os músculos das patas.

Os cascos de um cavalo também precisam ser cuidados de forma diária e impecável. É importante avaliar sempre se o animal está com algum problema no casco, como a claudicação. E em caso positivo tomar as medidas necessárias para tratar deste e qualquer outro problema no casco que surgir.

Esses cuidados com o casco ajuda a manter o cavalo saudável pois previne problemas como infecções e dificuldades de locomoção.

4# Atenção ao tratamento dos pelos do cavalo
Já os pelos também precisam de uma atenção especial, ainda mais se você tem cavalos para competições ou exposições. Estes precisam de escovação diária, além da limpeza para manter boa higiene e aparência.

Para a escovação dos pelos do cavalo é recomendado utilizar uma escova dura, especialmente depois de cavalgadas. A escova dura causa, no pelo do cavalo uma sensação similar a de uma massagem. O que ajuda a liberar as tensões do animal, sem falar de eliminar a sujeira do pelo.

5# Vacinação em dia
Cavalos, assim como a maioria das criaturas vivas, são propensos a doenças infecciosas. E por isso, ter um cronograma de vacinação para equinos em dia é essencial para quem deseja manter seu cavalo saudável sempre.

A vacinação nos cavalos é importante para dar imunidade contra algumas doenças como:

Influenza: responsável por provocar gripes, dentre elas a H1N1. Adultos e éguas prenhes devem tomar a vacina anualmente. Já os potros precisam da 1ª dose após a desmama, e a 2ª dose depois de 30 dias da primeira aplicação;
Tétano: o tétano é um tipo de infecção que pode chegar a ser letal para o cavalo. Ela é causada pela toxina da bactéria Clostridium Tetani, que reside no trato gastrintestinal do animal. Mas que pode viver no ambiente por longos períodos de tempo, sob forma esporulada.
Cavalos também precisam de vacinação preventiva para evitar o problema. Adultos e éguas prenhes devem tomar a vacina anualmente. Potros devem tomar a 1ª dose após a desmama, e a 2ª dose depois de 30 dias da primeira aplicação.
Raiva: uma das principais causas de morte em equinos no Brasil. De acordo com o veterinário Gustavo Braune alerta que uma vez que o sistema nervoso de um animal com raiva foi atingido não há mais intervenção possível que possa tratar do cavalo.
Em cavalos adultos e éguas prenhes a vacina precisa ser dada anualmente, em potros é necessário vacinar com uma 1ª dose após a desmama e depois de 30 dias aplicar uma 2ª dose;
Encefalomielite: a encefalomielite é uma doença infectocontagiosa caracterizada por sinais neurológicos de perturbação da consciência, disfunções motoras e paralisia.
Adultos e éguas prenhes devem tomar a vacina anualmente. Já os potros precisam da 1ª dose após a desmama, e a 2ª dose depois de 30 dias da primeira aplicação.
Para realizar a vacinação em dia no seu cavalo — ou criação — é preciso ficar atento a dois pontos fundamentais. O primeiro é o de contar com o trabalho especializado de um veterinário de equinos.

Esse profissional será encarregado de acompanhar a vida do animal e assim recomendar e organizar o cronograma de vacinas do cavalo.

O outro ponto a observar é que a vacinação só pode ser feita com animais livres de parasitas. O que torna a vermifugação do cavalo um componente indispensável antes da vacinação.

6# Baias para cavalos confortáveis e seguras
O local onde o cavalo fica e descansa é também de extrema importância para a saúde do equino. Não existe forma de manter um cavalo saudável sem que ele tenha uma cocheira ou baia para cavalos cuidadosamente preparada.

A cocheira é um local que tem um papel muito maior do que o de proteger o cavalo do sol e da chuva. Ele precisa ser visto pelo criador ou mesmo proprietário de cavalos como um ambiente de descanso e de promoção de bem-estar e qualidade de vida para o animal.

Escolher a cama adequada para as baias de equinos sempre foi um desafio para os criadores e proprietários de cavalos, que, além de pensar no conforto para o animal, tem que levar em conta o custo e a disponibilidade do material, manutenção e facilidade de limpeza das baias.

Uma solução que tem sido utilizada há mais de vinte anos no Brasil é instalação dos estrados de borracha Vedovati nas baias como camas.

A baia é a casa do cavalo, e ela precisa estar limpa e ser capaz de oferecer o conforto que o equino necessita.

A baia/cocheira do cavalo precisa ser capaz de proporcionar ao menos uma modesta movimentação para que o animal não se estresse, a definição da dimensão deve levar em conta a raça e o porte do cavalo, mas um tamanho de baia muito utilizado é de 4,00 x 4,00 m. Também precisa ter vantagens para os cavalos que não são movimentados de forma regular ou que possuem movimentação insuficiente.

Também é recomendado que haja espaço adequado para o fornecimento de comida e água para o animal dentro da baia.

Por fim, ainda é preciso que o criador se atente a necessidade de que a baia tenha um piso adequado para maximizar o conforto do cavalo.

E por falar em piso para baias de cavalos, continue lendo para saber mais sobre esse componente fundamental para a criação de um cavalo saudável.

7# Cama adequada e de alta qualidade para equinos
Ninguém em sã consciência gostaria de dormir em um colchão duro, sujo e que pode causar danos a saúde, certo?

Pois é, mas infelizmente é isso que muitos criadores fazem com os seus cavalos nas baias. E o pior disso é que muitos deles ainda esperam ter um cavalo saudável. O que simplesmente não é possível sem que haja uma cama de borracha adequada na baia.

Existem diversos tipos de camas e pisos para baias de cavalos. Mas é comprovado que as camas de borracha (emborrachados) são os melhores para baias de cavalos.

Uma boa cama de borracha consegue oferecer tudo o que um cavalo precisa para ter conforto em sua baia na hora de descansar.

Esse tipo de piso é antiderrapante, o que evita possíveis escorregões e quedas que geram estresse e lesões ao animal. Problemas nos cascos de um cavalo também podem ser evitados com o uso deste tipo de piso.

Importante, o termo piso de borracha é usado popularmente, no entanto não é adequado ao falar de camas e estrados de borracha. A cama de borracha vai em cima do piso convencional da baia. Ou seja, o estrado de borracha é instalado sobre o contrapiso da baia da cocheira do cavalo.

As camas e estrados de borracha também são de fácil limpeza e evitam o acúmulo de urina e mau-cheiro, desde que a baia tenha um ralo para drenagem e caída/desnível para o ralo (não pode ter um ralo em canto da baia e a urina escorrer para outro lado, não pode ficar urina empossada).

Além disso, previne possíveis doenças respiratórias cujo outros tipos de camas, como como serragem, maravalha, casca de arroz desenvolvem.

O que gera economia de custo em medicamentos, além do melhor que é dar mais saúde e qualidade de vida para o animal.

7.1# Como deve ser instalada uma cama de borracha (estrado de borracha) para cavalos e os cuidados para ter sucesso
Existe algumas condições ou pré requisitos para se instalar a cama de borracha Vedovati nas baias/cocheiras para seu cavalo.

A primeira condição para usar a cama de borracha para seu cavalo é que ela tenha um piso de cimento, ou seja não pode ser ter terra batida com aquele sistema de filtro (brita,areia e carvão) pois a baia com a cama de borracha lava-se com frequência e se ela for de terra vai encharcar;
A segunda condição é a baia/cocheira ter um ralo para drenagem, o ralo pode ser no centro da baia ou em canto;
E por último, um cuidado muito importante para instalar a cama/estrado de borracha Vedovati nas baias para seus cavalos com sucesso, é que o piso deve ter um caimento adequado, ou seja precisa de um caimento (desnível) entre 1,5 e 2,5% em direção ao ralo. Assim, se sua baia/cocheira tem 4,00 x 4,00 m, com um ralo para drenagem no centro da baia, quer dizer que o ralo precisa ser mais baixo 4 centímetros que as laterais da baia (calculando com 2% de queda).
O caimento do piso da baia/cocheira deve ser feito durante a construção das baias, e deve ser projetado de forma a criar um ângulo de inclinação no piso da baia/cocheira, que deve ser feito na direção do ralo, o que vai proporcionar o escoamento da urina, evitando que fique empoçada e cause mau cheiro.

Além deste ângulo, é importante que o sistema hidráulico (tubulação) possua um diâmetro adequado para escoamento da água sem que ela fique empoçada na baia.

O que fazer para arrumar o caimento de água do chão da baia/cocheira. A seguir 3 passos para arrumar o caimento de água da baia:

1. Verificação da inclinação

Quando a água fica empoçada na baia, o primeiro passo é verificar se o ângulo de inclinação do piso foi construído de forma adequada, o que pode ser feito com o uso de uma régua de nível.

2. Tubulação do escoamento

Em seguida é necessário verificar se a tubulação tem um diâmetro ideal para escoamento da água (mínimo de 100 milímetros, ideal de 150 milímetros), e se não há entupimentos na rede de , o que pode causar retorno da água/urina na cocheira.

3. Profissional para conserto

Depois de identificado o problema será necessário corrigi-lo com a contratação de um profissional especializado na área (um bom pedreiro), que terá que poderá remover o piso da baia para fazer outro com o ângulo de caimento ideal, e também substituir o sistema hidráulico caso seja necessário.

Estando ok esses pré-requisitos, você pode instalar a cama de borracha Vedovati diretamente sobre o piso de cimento.

É importante ressaltar que as camas de borracha, são as mais recomendadas para baias por um simples motivo. As camas tradicionais para baias acumulam umidade e por mais cuidadoso que seja o tratador sempre haverá umidade na baia, e portanto um maior risco de problemas nos cascos.

Outro problema comum das camas tradicionais (serragem, maravalha, casca de arroz, palhas, etc) é que vem com muito pó que podem causar alergias ao cavalo.

Outro detalhe muito importante é a limpeza da cama do cavalo, que precisa estar sempre em dia. Dentre todas as opções possíveis no mercado, as camas/estrados emborrachados são os mais fáceis de fazer a limpeza.

Dando uma boa cama/estrado de borracha na baia/cocheira do seu cavalo, boa parte dos problemas são resolvidos e é o caminho para ter um cavalo saudável já foi trilhado.

E se você deseja saber mais sobre e cama de emborrachadas para baias só precisa conferir o link abaixo..

➥ Quero saber mais sobre pisos emborrachados para baias e melhorar a saúde e qualidade de vida dos meus cavalos

https://www.vedovatipisos.com.bnoticias-artigos/7-dicas-para-manter-seu-cavalo-saudavel/
submitted by Vedovati_Pisos to u/Vedovati_Pisos [link] [comments]

Equoterapia: tratamento de doenças facilitado por cavalos

As terapias alternativas têm ganhado força nos últimos anos como um suporte importante para o tratamento de diversas doenças. Uma das opções, que pouca gente conhece, mas pode trazer diversos benefícios físicos, educacionais e sociais é a equoterapia. Já ouviu falar?
“A equo, hipo ou equinoterapia é um método terapêutico que conta com os recursos fornecidos pelos cavalos para realizar abordagens nas áreas de saúde e educação do indivíduo”, explica Gabriele Brigitte Walter, fisioterapeuta, psicóloga e instrutora de equitação.
A atividade nasceu na Europa e foi regulamentada como prática terapêutica em 1970, na Alemanha.
“Através do cavalo, o praticante da equoterapia desfruta de uma terapia de autoconhecimento, auxiliado pelo movimento tridimensional rítmico do andamento do animal, que imita a cadência do andar do ser humano”, destaca a especialista.
Gabriele explica que isso acontece porque a equoterapia envolve uma participação global do corpo, trazendo diversos benefícios, como o desenvolvimento do tônus e da força muscular, o relaxamento e a conscientização do próprio corpo.
Também promove o equilíbrio, o aperfeiçoamento da coordenação motora, a atenção, a autoconfiança e a autoestima. Gabriel é a prova disso.
O garoto de 10 anos de idade tem paralisia cerebral e faz equoterapia já há 7 anos. “Como ele não anda, pois não tem a estrutura na coluna, isso o ajudou muito na parte do equilíbrio. Ele senta bem melhor e desenvolveu consideravelmente a parte motora”, explica sua irmã, Mônica Bela, acrescentando que o contato com o animal também fez muito bem a Gabriel.
Como é uma sessão?
Cada terapia é diferente porque se adapta às necessidades de cada criança. Ao começar, o instrutor estabelecerá uma série de metas a cumprir, que podem ser de motricidade, de linguagem ou ambas.
No começo, é possível notar avanços muito pequenos, mas é a espontaneidade que fará valer todo o esforço.
A especialista Gabriele lista as principais Atividades Assistidas por Equinos (AAE), que englobam todos os recursos oferecidos pela equoterapia:
Terapia assistida por equinos (TAE): as metas terapêuticas são colocadas em função das necessidades do praticante, incorporando atividades que envolvam os cavalos;
• Hipoterapia: abordagem física, ocupacional ou fonaudiológica, que utiliza o movimento do cavalo. É utilizada sobretudo para o desenvolvimento físico do paciente;
• Hipoterapia por tandem: o terapeuta monta o cavalo junto com o praticante para facilitar ou permitir sua mobilidade;
• Horsemanship terapêutico: é uma atividade voltada para estudantes, que estimula a superação de desafios de autoconhecimento emocional, social e de qualidade de vida;
• Equitação terapêutica: inclui disciplinas de montaria tradicional ou adaptada e é voltada a ações de ordem psicológica;
• Volteio interativo: similar ao horsemanship, envolve atividades sobre o cavalo ao passo, trote ou galope. Oferece oportunidade de movimento, atividade educacional e social, além de estimular a criatividade. É indicada para pessoas de diferentes faixas etárias e necessidades;
• Competição: individual ou em times, a equoterapia enquanto esporte funciona como um instrumento de incentivo para aumentar o potencial dos praticantes;
• Reabilitação vocacional: são atividades no ambiente equestre que podem incluir readaptação e exploração vocacional. Voltada para adolescentes ou adultos, estimula que o participante trabalhe em grupo e desenvolva algumas competências, como atenção, disciplina, higiene e obediência a regras;
• Psicoterapia Facilitada por Equinos (PFE): psicoterapia experimental que inclui alimentação, escovação, trato, manejo, trabalho a pé ou montado, atrelagem e volteio de equinos. É indicada para o tratamento da saúde mental.

https://www.vedovatipisos.com.bnoticias-artigos/equoterapia-tratamento-de-doencas-facilitado-por-cavalos/
submitted by Vedovati_Pisos to u/Vedovati_Pisos [link] [comments]

Evite acidentes na academia: 4 cuidados que você deve tomar hoje mesmo

Todo proprietário deseja saber exatamente como prevenir e evitar acidentes na academia. Afinal, ocorrências desse tipo podem causar sérias lesões nos alunos. O que tira o prestígio e o valor do estabelecimento, além de fazer a academia ficar com uma imagem ruim de que não é segura.
Porém, você que possui a sua academia precisa saber que não há o que temer. Pois é possível eliminar riscos e prevenir acidentes em seu negócio.
Neste artigo, reunimos alguns dos principais cuidados para evitar acidentes na sua academia.
Confira.

1# Faça verificações e manutenção preventiva nos equipamentos da sua academia

O primeiro cuidado da nossa lista de como evitar acidentes na academia é também um dos mais simples.
Defina um intervalo de tempo e faça uma verificação cuidadosa dos equipamentos que você dispõe na sua academia. Cabos de aços podem começar a ceder em alguns equipamentos, soltando-se fio a fio até que se arrebentem por completo, causando um acidente como uma queda ou outro tipo de lesão.
É importante saber que os equipamentos da academia sofrerão desgastes com o tempo, é o natural. E assim, é preciso verificar os mesmos em intervalos regulares de tempo.
E então, aqueles que apresentarem defeitos e possíveis riscos aos alunos da academia, passem por um processo de manutenção ou mesmo troca.

2# Sempre mantenha um profissional para orientar os alunos

Quem tem uma academia de musculação sabe bem que receberá alunos sedentários em algum momento. Pessoas que nunca fizeram um treino de rosca, bíceps, costas, etc em um aparelho de academia.
E sabe também que a prática errada desses exercícios pode levar os alunos a lesões de gravidade variada. Bem como acidentes causados por, só pra citar um exemplo, tentar erguer uma barra de supino muito mais pesada do que a pessoa suporta.
Ainda nesse exemplo, a pessoa pode simplesmente acabar por deixar a barra cair sobre o peito. E o estrago que pode ser feito nesse acidente é muito sério. Se cair no pescoço pior, podendo levar o aluno até a morte.
Assim, o nosso segundo cuidado de hoje para evitar acidentes na academia é ter um profissional para orientar os alunos.
Ou seja, alguém que possa avaliar os alunos e passar o treinamento adequado e no limite certo que eles podem suportar.

3# Fique atento aos vestiários

Muitas academias e clubes possuem vestiários com itens como boxes para alunos tomarem banho e armários para que guardem suas roupas.
Donos de academia precisam ter um cuidado especial com esses ambientes para evitar acidentes na academia. O tamanho do vestiário, para começar, deve ser adequado e suficiente para que os alunos possam circular por ele.
O espaço internos dos armários também precisa ser suficiente para que os alunos guardem suas coisas enquanto treinam. Pois do contrário, pessoas podem tropeçar em mochilas que ficam colocadas no chão por falta de opção.
Tome cuidado ainda para que o vestiário e os boxes de chuveiro não fiquem molhados ou escorregadios. Quedas com lesões sérias podem ser provocadas por conta de pisos molhados e derrapantes.
E falando nisso…

4# Utilizar os pisos corretos na academia

O último cuidado para evitar acidentes dentro da academia é o uso correto de pisos pelos ambientes.
Como você viu no cuidado anterior, é importante verificar alguns fatores de risco em vestiários. E um deles é justamente o piso, pois o vestiário é um local que costuma ficar bastante molhado e com frequência.
E isso pode ocasionar escorregões e quedas onde o aluno pode se machucar de várias formas diferentes. E quedas graves, que causam ferimentos mais sérios podem render problemas para a academia.
Como por exemplo, perda de alunos por conta da imagem prejudicada da academia, ações na justiça e feedbacks negativos em sites como o Reclame aqui. O que torna a prevenção de acidentes não só necessária, como essencial para a manutenção da segurança dos alunos, bem como imagem da academia.
Uma boa forma de prevenir acidentes é pelo uso dos pisos corretos de acordo com o ambiente da academia. Para vestiários, pisos antiderrapantes e drenantes como os EPV-5, EPV-13 e EPV-17 que podem ser encontrados aqui, onde reunimos as melhores opções de pisos para vestiários e banheiros.
Claro, também é preciso contar com o piso certo nos demais espaços da academia. Especialmente onde ficarão os aparelhos de musculação. É importante que eles estejam bem colocados sobre o piso certo para evitar possíveis acidentes.
Quer saber mais sobre pisos específicos para academias? Então confira nosso post sobre pisos para uma das práticas mais populares nas academias, o crossfit.
Para ler o post basta clicar no link abaixo.
➥ Quero descobrir qual o melhor piso para box de crossfit agora mesmo

https://www.vedovatipisos.com.bnoticias-artigos/evite-acidentes-na-academia-4-cuidados-que-voce-deve-tomar-hoje-mesmo/
submitted by Vedovati_Pisos to u/Vedovati_Pisos [link] [comments]

Financiando um aluno de Medicina

Boa noite pessoal,
Tenho uma amiga que precisa de um apoio precioso de vocês nesse importante momento da vida dela.
Usando valores arredondados, mas muito próximos da realidade, vamos lá:
Ela passou em Medicina em outro estado. A semestralidade custa 50000, divididas em 6 mensais de 8333,33. Se pagar à vista, 5% de desconto, ou seja, 47500.
A renda do marido dela e dela somadas dão 15000. Como ela não vai conseguir segurar por muito tempo o emprego, pois o curso é integral, essa renda cai para 10000, o que torna impraticável pagar 8333,33 de mensalidade.
O Bradesco é o banco conveniado que oferece financiamento. Eles bancariam a semestralidade e ela pagaria (com os devidos juros de 1,xx%) 4500 por mês em 12x. No próximo semestre, eles pagariam a semestralidade e ela passaria a pagar pra eles ao término da atual. Ou seja, ao final de 6 anos tem mais 6 anos de dívida.
O ponto que quero chegar é que, semestralmente, ela precisará encontrar avalistas com renda suficiente para entrar com o marido dela e assinar os contratos. Isso não traz muita paz pra ela, já que não são tantas opções e tudo isso passa pela análise do crédito pelo banco, que pode negar e trazer transtornos sérios. Ela se preocupa bastante de, mais adiante, lá no 3º ou 4º ano, passar a ter problemas com isso e precisar eventualmente parar o curso, já que não conseguiria pagar a mensalidade e o financiamento juntos.
Claro, isso é um cenário pessimista, mas devemos sim nos preparar pra ele caso aconteça. Pensando nisso, encontrei uma eventual saída que gostaria que vocês me dissessem se é viável do ponto de vista de um gestor financeiro, e quais riscos não estou enxergando:
Será que alguém, normalmente investidor ou administrador com dinheiro em conta, toparia fechar um contrato com ela, onde a pessoa semestralmente quitasse a faculdade, e recebesse de volta no dobro do tempo, esses 5% em forma de juros?
Na prática: um “investidor-anjo” (vamos chamar assim) quitaria o semestre e receberia esse valor de volta em 12x4166,66, totalizando os 50000. Faria isso todo começo de semestre. Como a faculdade dura 6 anos, essa pessoa receberia em 12, ficando com lucro final de 30000. Para diminuir o risco ela toparia pagar os últimos 6 anos em 3, já que estará formada e a carreira de Medicina traz bons salários e pouca dificuldade em arrumar emprego. Logo, no total o investimento seria para 9 anos. A mãe dela tem um apartamento na faixa dos 250k que poderia ser colocado como garantia, sei lá...

Perguntas:
Esse é um negócio atrativo para um investidor padrão?
Isso pode ser considerado um investimento de baixo, médio ou alto risco?
Vocês acham que seria loucura oferecer isso para algum colega próximo? Ela conheçe alguns poucos que tem essa renda para investir. Ou tem outras maneiras de conseguir esse crédito que não conheço (fintechs, SEP’s, etc.)?

Observações:
Não sei detalhes sobre FIES, PROUNI ou ENEM ou bolsas. Vamos considerar aqui que a única opção é pagar integralmente mesmo.
submitted by 1berto86 to investimentos [link] [comments]

Pecuária intensiva

Bom dia! Faço parte desde ontem do grupo de pessoas escandalizadas com o documentário "Dominion", que expõe as práticas da pecuária intensiva na Austrália, nomeadamente as consequências de se entender os animais como meros produtos. À semelhança do conhecido "Earthlings", o documentário é chocante e também conta com a narração de Joaquin Phoenix :-)
Devo dizer que não sou vegetariano nem vegan. Já vi muitos documentários acerca dos abusos da indústria à dignidade dos animais e também aqueles sobre os malefícios para o meio ambiente que são consequência da prática dessa lógica industrial.
Eu alimento-me de tudo, com maior prevalência de leguminosas, mas apenas porque gosto assim, porque adoro legumes e as várias alternativas que estes permitem no respeitante aos sabores. Durante uma semana poderei consumir em torno de duas refeições com carne ou peixe. Apesar de esses documentários não me incitarem à mudança, não deixei de me sentir incomodado e, várias vezes, chocado com as imagens que vi.
Esse choque levou-me à pergunta "mas será que em Portugal se faz isto?" - pergunta ingénua, talvez, mas, da minha experiência, eu nunca vi de perto estas empresas, tendo mesmo visto o oposto! De onde eu venho, já vi pelo menos duas empresas de criação de suínos que deixam os seus animais completamente ao ar livre, entre árvores, com imenso espaço. Logicamente, mais tarde ou mais cedo o abate acontecerá, e aí resta uma pequena inquietação sobre a forma como o farão. No entanto, eu penso: se os porcos foram criados com espaço e lhes foi dada a liberdade de se expressar de forma natural, creio que o principal foi atingido. O abate é inevitável. Eu sou capaz de o compreender. As pessoas precisam de comer, e na maioria das vezes a carne e o peixe são as opções mais viáveis seja por questões económicas ou pelo simples facto de que, para essas pessoas, sempre foi assim e aceitam a situação sem fazer juízos críticos.
Para além do exemplo anterior, estou familiarizado com a criação de animais como galinhas, porcos, patos e até cabras para consumo próprio, que, pela ausência de uma lógica capitalista e intensiva visando maximização de lucros, proporciona tempo e liberdade ao animal.
Tendo exposto de forma resumida a minha experiência e posição em relação a este assunto, queria perguntar se sabem da existência de empresas que operam de forma intensiva em Portugal, dentro das quais o confinamento e a morte indigna dos animais é praticada.
submitted by jazzpainterjazz to PortugalVegan [link] [comments]

Algumas dúvidas sobre as opções de depósito do Nubank

No app do Nubank, quando abro as "opções de depósito", consta o seguinte:
Seus depósitos agora em RDB
Novos depósitos serão feitos em RDB garantido pelo FGC (até R$ 250 mil). Quando essa opção não estiver disponível, eles serão feitos em RDB vinculados a títulos públicos, dados em garantia a você. Para isso, você autoriza que o Nubank ou um parceiro atue como agente de garantia.
Seu dinheiro continua com o mesmo rendimento, liquidez diária e você pode mudar essa configuração quando quiser.
Saiba mais
QUERO ATIVAR
Cliquei em "quero ativar" pra ver como ia ficar e ficou assim:
Seus novos depósitos estão sendo feitos em RDB.
Você pode desativar essa opção e voltar a depositar na conta de pagamento.
Pois bem, aí me surgiram as seguintes dúvidas (as três primeiras talvez sejam uma só):
  1. Quando eu ativo essa opção eu estou ativando apenas a opção com garantia do FGC (e consequentemente desativando a opção de vinculação a títulos públicos) ou estou ativando ambas (FGC e títulos públicos)? O que nos leva à próxima dúvida;
  2. Quando ele fala que "Quando essa opção não estiver disponível, eles serão feitos em RDB vinculados a títulos públicos" ele quer dizer que os depósitos serão feitos desta maneira quando o RDB com garantia do FGC por algum motivo alheio à minha vontade não estiver disponível (quando isso poderia acontecer?) ou quando eu deixar a opção desativada (então estarei desativando o FGC e optando pelos títulos públicos)?
  3. Ainda no mesmo sentido dos pontos anteriores, o que exatamente quer dizer aquele "Você pode desativar essa opção e voltar a depositar na conta de pagamento"? Nesse método (conta de pagamento) eu estarei com o dinheiro vinculado a títulos públicos ou ele não estará vinculado a nada?
  4. Já vi um pessoal falando que recebeu o dinheiro do FGC em cerca de um mês e meio e que o processo foi tranquilo, o que acho de boa considerando que minha reserva de emergência está no Banco do Brasil (no Nubank deixo mais o dinheiro do dia a dia e uma "reserva de facilidade"). E se estiver na opção de vinculação a títulos públicos, como funciona o resgate (tanto de tempo como o processo em si) caso o Nubank quebre?
  5. Já vi gente dizendo que na prática não faz muita diferença deixar no método com garantia do FGC ou vinculado a títulos públicos, mas também já li que se tiver uma quebradeira generalizada o FGC pode não dar conta de pagar todo mundo. Assim, seria mais seguro manter o dinheiro vinculado a títulos públicos?
Obrigado!
submitted by bobmonofree to investimentos [link] [comments]

Quando a vida bifurca

Obs 1: Bom acho que será longo.
Obs 2: Está mais para ajuda do que desabafo.
Obs 3: a conta é throwaway
Obs 4: fiz faculdade por fazer
Em curtas palavras: cheguei no momento em que a estrada (profissional) que me trouxe até aqui, dolorosa como só, não me serve mais. Ela me dá duas opções mais claras, mas eu não sei o que eu quero. Eu não sei quem eu sou, ou o que me fará feliz.
Passei a pouco dos meus 30 (sim, tem um pouco de crise dos 30 aqui), trabalho para um dos gigantes do brasil, tipo de empresa gigante, que te dá muito mais trabalho do que deveria, só se importa com lucro e etc...E há alguns anos já não me sinto bem lá, não gosto do trabalho, to cansada da cobrança em excesso todos os dias, etc...
Aí eu me formei. Depois eu aprovei na OAB (sou formada em direito).
Ai aparece a opção 1: Advogar
Mas não consigo saber se o que me fará feliz é advogar. Eu nunca advoguei, nunca estagiei, realmente eu não tenho como saber isso. Acho que advogar é difícil, acho que eu vou apanhar demais, da vida, pela falta de experiencia, dos colegas, do promotor, do juiz, dos clientes, se eu tomo esse caminho. Ai vem a questão de qual ramo do direito escolher (são uns 500). Por mais lindo que seja advogar, acho que é difícil. Mas eu sou bastante competente e inteligente, ouvi isso minha vida toda, não deve ser por nada. Advogar traz a promessa de retornos maiores que a segunda opção, mas ao mesmo tempo, nada garantidos. Horários com maior flexibilidade também precisam estar aqui. Sendo sincera, não saberia nem por onde começar. Ia requerer um curso de capacitação prática. Mas e aonde arrumar clientes? Como cobrar? Ok, o tempo pode me ensinar todas essas coisas. mas a insegurança e o medo da miséria batem forte a porta.
Opção 2: Concurso público. Queridinho do Brasil. Aqui tem um caminho árduo e suado. Estudar pra concurso (eu venho fazendo isso há 1 ano mais ou menos) é extremamente difícil. Sozinha na sala, lendo a mesma letra fria de lei, ou uma das 5mil que podem cair, pela primeira vez.
As vantagens clara você sabe, estabilidade, renda garantida, menor cobrança (teoricamente) e etc. Complicado que eu não sei dizer se isso vai me fazer feliz. Se eu não me torno uma velha amargurada, trabalhando 8h por dia, cheia de má vontade no coração, contando os dias para me aposentar e ai sim "ser feliz". Como se a vida toda até lá fosse um sacrifício, em troca de uma salvação. Mas ponto é que concurso parece que vai me limitar demais, alguns dizem, "concurso fecha a porta da pobreza mas também a da riqueza." E minha família entoa isso como um mantra (maior parte de autônomos/empresários).
Ponto é que eu cansei. Estou de férias e neste domingo chorei por ter que retornar ao trabalho, mesmo só voltando dia 22. Complicado que isso aconteceu no meu primeiro trabalho (5 anos nos dois) e eu e minha família ficamos achando que isso seja culpa minha. Que chega uma hora que eu imaturamente "enjoo" do trabalho e fico com raiva e não quero mais. Minha mãe me disse isso com todas as palavras ontem, mas eu também penso isso. Será que o problema sou eu?
Consegui montar uma reserva, pra uns 2 anos sem trabalhar. Isso sem investir em nada, digo montar uma sala e etc.
Sei que eu preciso mudar. aonde trabalho não tenho perspectiva de ganhar bem (digo 7, 8, 9, 10 mil/mes), o regime de trabalho é doentio, excessivo, tipica empresa que adoece as pessoas e acho que eu to sim um pouco afetada.
Como que você decidiu o que fazer com a sua vida? Me parece que a maioria das pessoas simplesmente vai vivendo e vendo, e minha necessidade de controle anula isso totalmente. Além de ter os que parecem que nasceram sabendo, passam a faculdade, a escola toda já destinados.
A partir daqui, são informações complementares, eu acredito
Me falta muita coragem. Toda minha vida faltou. Relacionamentos, dirigir, esportes etc. Em relação a dinheiro é um pouco pior ainda. Ver meu pai sempre reclamando, "que nunca ia chegar" e etc acho que me afetaram e me deixaram mais medrosa ainda.
Eu sei que preciso mudar. Mas quando não se sabe para que porto se vai, nenhum vento é favorável.
Se você leu até aqui ou não, de qualquer forma, grata.
submitted by tawnie60 to desabafos [link] [comments]

Mes estudos para o CACD - Bruno Pereira Rezende

Livro do diplomata Bruno Pereira Rezende
INTRODUÇÃO
📷📷Desde quando comecei os estudos para o Concurso de Admissão à Carreira de Diplomata (CACD), li dezenas de recomendações de leituras, de guias de estudos extraoficiais, de dicas sobre o concurso, sobre cursinhos preparatórios etc. Sem dúvida, ter acesso a tantas informações úteis, vindas de diversas fontes, foi fundamental para que eu pudesse fazer algumas escolhas certas em minha preparação, depois de algumas vacilações iniciais. Mesmo assim, além de a maioria das informações ter sido conseguida de maneira dispersa, muitos foram os erros que acho que eu poderia haver evitado. Por isso, achei que poderia ser útil reunir essas informações que coletei, adicionando um pouco de minha experiência com os estudos preparatórios para o CACD neste documento.
Além disso, muitas pessoas, entre conhecidos e desconhecidos, já vieram me pedir sugestões de leituras, de métodos de estudo, de cursinhos preparatórios etc., e percebi que, ainda que sempre houvesse alguma diferenciação entre as respostas, eu acabava repetindo muitas coisas. É justamente isso o que me motivou a escrever este documento – que, por não ser (nem pretender ser) um guia, um manual ou qualquer coisa do tipo, não sei bem como chamá-lo, então fica como “documento” mesmo, um relato de minhas experiências de estudos para o CACD. Espero que possa ajudar os interessados a encontrar, ao menos, uma luz inicial para que não fiquem tão perdidos nos estudos e na preparação para o concurso.
Não custa lembrar que este documento representa, obviamente, apenas a opinião pessoal do autor, sem qualquer vínculo com o Ministério das Relações Exteriores, com o Instituto Rio Branco ou com o governo brasileiro. Como já disse, também não pretendo que seja uma espécie de guia infalível para passar no concurso. Além disso, o concurso tem sofrido modificações frequentes nos últimos anos, então pode ser que algumas coisas do que você lerá a seguir fiquem ultrapassadas daqui a um ou dois concursos. De todo modo, algumas coisas são básicas e podem ser aplicadas a qualquer situação de prova que vier a aparecer no CACD, e é necessário ter o discernimento necessário para aplicar algumas coisas do que falarei aqui a determinados contextos. Caso você tenha dúvidas, sugestões ou críticas, fique à vontade e envie-as para [[email protected] ](mailto:[email protected])(se, por acaso, você tiver outro email meu, prefiro que envie para este, pois, assim, recebo tudo mais organizado em meu Gmail). Se tiver comentários ou correções acerca deste material, peço, por favor, que também envie para esse email, para que eu possa incluir tais sugestões em futura revisão do documento.
Além desta breve introdução e de uma também brevíssima conclusão, este documento tem quatro partes. Na primeira, trato, rapidamente, da carreira de Diplomata: o que faz, quanto ganha, como vai para o exterior etc. É mais uma descrição bem ampla e rápida, apenas para situar quem, porventura, estiver um pouco mais perdido. Se não estiver interessado, pode pular para as partes seguintes, se qualquer prejuízo para seu bom entendimento. Na segunda parte, trato do concurso: como funciona, quais são os pré-requisitos para ser diplomata, quais são as fases do concurso etc. Mais uma vez, se não interessar, pule direto para a parte seguinte. Na parte três, falo sobre a preparação para o concurso (antes e durante), com indicações de cursinhos, de professores particulares etc. Por fim, na quarta parte, enumero algumas sugestões de leituras (tanto próprias quanto coletadas de diversas fontes), com as devidas considerações pessoais sobre cada uma. Antes de tudo, antecipo que não pretendo exaurir toda a bibliografia necessária para a aprovação, afinal, a cada ano, o concurso cobra alguns temas específicos. O que fiz foi uma lista de obras que auxiliaram em minha preparação (e, além disso, também enumerei muitas sugestões que recebi, mas não tive tempo ou vontade de ler – o que também significa que, por mais interessante que seja, você não terá tempo de ler tudo o que lhe recomendam por aí, o que torna necessário é necessário fazer algumas escolhas; minha intenção é auxiliá-lo nesse sentido, na medida do possível).
Este documento é de uso público e livre, com reprodução parcial ou integral autorizada, desde que citada a fonte. Sem mais, passemos ao que interessa.
Parte I – A Carreira de Diplomata
INTRODUÇÃO
Em primeiro lugar, rápida apresentação sobre mim. Meu nome é Bruno Rezende, tenho 22 anos e fui aprovado no Concurso de Admissão à Carreira de Diplomata (CACD) de 2011. Sou graduado em Relações Internacionais pela Universidade de Brasília (turma LXII, 2007-20110), e não tinha certeza de que queria diplomacia até o meio da universidade. Não sei dizer o que me fez escolher a diplomacia, não era um sonho de infância ou coisa do tipo, e não tenho familiares na carreira. Acho que me interessei por um conjunto de aspectos da carreira. Comecei a preparar-me para o CACD em meados de 2010, assunto tratado na Parte III, sobre a preparação para o concurso.
Para maiores informações sobre o Ministério das Relações Exteriores (MRE), sobre o Instituto Rio Branco (IRBr), sobre a vida de diplomata etc., você pode acessar os endereços:
- Página do MRE: http://www.itamaraty.gov.b
- Página do IRBr: http://www.institutoriobranco.mre.gov.bpt-b
- Canal do MRE no YouTube: http://www.youtube.com/mrebrasil/
- Blog “Jovens Diplomatas”: http://jovensdiplomatas.wordpress.com/
- Comunidade “Coisas da Diplomacia” no Orkut (como o Orkut está ultrapassado, procurei reunir todas as informações úteis sobre o concurso que encontrei por lá neste documento, para que vocês não tenham de entrar lá, para procurar essas informações):
http://www.orkut.com.bMain#Community?cmm=40073
- Comunidade “Instituto Rio Branco” no Facebook: http://www.facebook.com/groups/institutoriobranco/
Com certeza, há vários outros blogs (tanto sobre a carreira quanto sobre a vida de diplomata), mas não conheço muitos. Se tiver sugestões, favor enviá-las para [[email protected].](mailto:[email protected])
Além disso, na obra O Instituto Rio Branco e a Diplomacia Brasileira: um estudo de carreira e socialização (Ed. FGV, 2007), a autora Cristina Patriota de Moura relata aspectos importantes da vida diplomática daqueles que ingressam na carreira. Há muitas informações desatualizadas (principalmente com relação ao concurso), mas há algumas coisas interessantes sobre a carreira, e o livro é bem curto.
A DIPLOMACIA E O TRABALHO DO DIPLOMATA
Com a intensificação das relações internacionais contemporâneas e com as mudanças em curso no contexto internacional, a demanda de aprimoramento da cooperação entre povos e países tem conferido destaque à atuação da diplomacia. Como o senso comum pode indicar corretamente, o
diplomata é o funcionário público que lida com o auxílio à Presidência da República na formulação da política externa brasileira, com a condução das relações da República Federativa do Brasil com os demais países, com a representação brasileira nos fóruns e nas organizações internacionais de que o país faz parte e com o apoio aos cidadãos brasileiros residentes ou em trânsito no exterior. Isso todo mundo que quer fazer o concurso já sabe (assim espero).
Acho que existem certos mitos acerca da profissão de diplomata. Muitos acham que não irão mais pagar multa de trânsito, que não poderão ser presos, que nunca mais pegarão fila em aeroporto etc. Em primeiro lugar, não custa lembrar que as imunidades a que se referem as Convenções de Viena sobre Relações Diplomáticas e sobre Relações Consulares só se aplicam aos diplomatas no exterior (e nos países em que estão acreditados). No Brasil, os diplomatas são cidadãos como quaisquer outros. Além disso, imunidade não é sinônimo de impunidade, então não ache que as imunidades são as maiores vantagens da vida de um diplomata. O propósito das imunidades é apenas o de tornar possível o trabalho do diplomata no exterior, sem empecilhos mínimos que poderiam obstar o bom exercício da profissão. Isso não impede que diplomatas sejam revistados em aeroportos, precisem de vistos, possam ser julgados, no Brasil, por crimes cometidos no exterior etc.
Muitos também pensam que irão rodar o mundo em primeira classe, hospedar-se em palácios suntuosos, passear de iate de luxo no Mediterrâneo e comer caviar na cerimônia de casamento do príncipe do Reino Unido. Outros ainda acham que ficarão ricos, investirão todo o dinheiro que ganharem na Bovespa e, com três anos de carreira, já estarão próximos do segundo milhão. Se você quer ter tudo isso, você está no concurso errado, você precisa de um concurso não para diplomata, mas para marajá. Obviamente, não tenho experiência suficiente na carreira para dizer qualquer coisa, digo apenas o que já li e ouvi de diversos comentários por aí. É fato que há carreiras públicas com salários mais altos. Logo, se você tiver o sonho de ficar rico com o salário de servidor público, elas podem vir a ser mais úteis nesse sentido. Há não muito tempo, em 2006, a remuneração inicial do Terceiro-Secretário (cargo inicial da carreira de diplomata), no Brasil, era de R$ 4.615,53. Considerando que o custo de vida em Brasília é bastante alto, não dava para viver de maneira tão abastada, como alguns parecem pretender. É necessário, entretanto, notar que houve uma evolução significativa no aspecto salarial, nos últimos cinco anos (veja a seç~o seguinte, “Carreira e Sal|rios). De todo modo, já vi vários diplomatas com muitos anos de carreira dizerem: “se quiser ficar rico, procure outra profissão”. O salário atual ajuda, mas não deve ser sua única motivação.
H| um texto ótimo disponível na internet: “O que é ser diplomata”, de César Bonamigo, que reproduzo a seguir.
O Curso Rio Branco, que frequentei em sua primeira edição, em 1998, pediu-me para escrever sobre o que é ser diplomata. Tarefa difícil, pois a mesma pergunta feita a diferentes diplomatas resultaria, seguramente, em respostas diferentes, umas mais glamourosas, outras menos, umas ressaltando as vantagens, outras as desvantagens, e não seria diferente se a pergunta tratasse de outra carreira qualquer. Em vez de falar de minhas impressões pessoais, portanto, tentarei, na medida do possível, reunir observações tidas como “senso comum” entre diplomatas da minha geraç~o.
Considero muito importante que o candidato ao Instituto Rio Branco se informe sobre a realidade da carreira diplomática, suas vantagens e desvantagens, e que dose suas expectativas de acordo. Uma expectativa bem dosada não gera desencanto nem frustração. A carreira oferece um pacote de coisas boas (como a oportunidade de conhecer o mundo, de atuar na área política e econômica, de conhecer gente interessante etc.) e outras não tão boas (uma certa dose de burocracia, de hierarquia e dificuldades no equacionamento da vida familiar). Cabe ao candidato inferir se esse pacote poderá ou não fazê-lo feliz.
O PAPEL DO DIPLOMATA
Para se compreender o papel do diplomata, vale recordar, inicialmente, que as grandes diretrizes da política externa são dadas pelo Presidente da República, eleito diretamente pelo voto popular, e pelo Ministro das Relações Exteriores, por ele designado. Os diplomatas são agentes políticos do Governo, encarregados da implementação dessa política externa. São também servidores públicos, cuja função, como diz o nome, é servir, tendo em conta sua especialização nos temas e funções diplomáticos.
Como se sabe, é função da diplomacia representar o Brasil perante a comunidade internacional. Por um lado, nenhum diplomata foi eleito pelo povo para falar em nome do Brasil. É importante ter em mente, portanto, que a legitimidade de sua ação deriva da legitimidade do Presidente da República, cujas orientações ele deve seguir. Por outro lado, os governos se passam e o corpo diplomático permanece, constituindo elemento importante de continuidade da política externa brasileira. É tarefa essencial do diplomata buscar identificar o “interesse nacional”. Em negociações internacionais, a diplomacia frequentemente precisa arbitrar entre interesses de diferentes setores da sociedade, não raro divergentes, e ponderar entre objetivos econômicos, políticos e estratégicos, com vistas a identificar os interesses maiores do Estado brasileiro.
Se, no plano externo, o Ministério das Relações Exteriores é a face do Brasil perante a comunidade de Estados e Organizações Internacionais, no plano interno, ele se relaciona com a Presidência da República, os demais Ministérios e órgãos da administração federal, o Congresso, o Poder Judiciário, os Estados e Municípios da Federação e, naturalmente, com a sociedade civil, por meio de Organizações Não Governamentais (ONGs), da Academia e de associações patronais e trabalhistas, sempre tendo em vista a identificação do interesse nacional.
O TRABALHO DO DIPLOMATA
Tradicionalmente, as funções da diplomacia são representar (o Estado brasileiro perante a comunidade internacional), negociar (defender os interesses brasileiros junto a essa comunidade) e informar (a Secretaria de Estado, em Brasília, sobre os temas de interesse brasileiro no mundo). São também funções da diplomacia brasileira a defesa dos interesses dos cidadãos brasileiros no exterior, o que é feito por meio da rede consular, e a promoção de interesses do País no exterior, tais como interesses econômico-comerciais, culturais, científicos e tecnológicos, entre outros.
No exercício dessas diferentes funções, o trabalho do diplomata poderá ser, igualmente, muito variado. Para começar, cerca de metade dos mil1 diplomatas que integram o Serviço Exterior atua no Brasil, e a outra metade nos Postos no exterior (Embaixadas, Missões, Consulados e Vice-Consulados). Em Brasília, o diplomata desempenha funções nas áreas política, econômica e administrativa, podendo cuidar de temas tão diversos quanto comércio internacional, integração regional (Mercosul), política bilateral (relacionamento do Brasil com outros países e blocos), direitos humanos, meio ambiente ou administração física e financeira do Ministério. Poderá atuar, ainda, no Cerimonial (organização dos encontros entre autoridades brasileiras e estrangeiras, no Brasil e no exterior) ou no relacionamento do Ministério com a sociedade (imprensa, Congresso, Estados e municípios, Academia, etc.).
No exterior, também, o trabalho dependerá do Posto em questão. As Embaixadas são representações do Estado brasileiro junto aos outros Estados, situadas sempre nas capitais, e desempenham as funções tradicionais da diplomacia (representar, negociar, informar), além de promoverem o Brasil junto a esses Estados. Os Consulados, Vice-Consulados e setores consulares de Embaixadas podem situar-se na capital do país ou em outra cidade onde haja uma comunidade brasileira expressiva. O trabalho nesses Postos é orientado à defesa dos interesses dos cidadãos brasileiros no exterior. Nos Postos multilaterais (ONU, OMC, FAO, UNESCO, UNICEF, OEA etc.), que podem ter natureza política, econômica ou estratégica, o trabalho envolve, normalmente, a representação e a negociação dos interesses nacionais.
O INGRESSO NA CARREIRA
A carreira diplomática se inicia, necessariamente, com a aprovação no concurso do Instituto Rio Branco (Informações sobre o concurso podem ser obtidas no site http://www2.mre.gov.birbindex.htm). Para isso, só conta a competência – e, talvez, a sorte – do candidato. Indicações políticas não ajudam.
AS REMOÇÕES
Após os dois anos de formação no IRBr , o diplomata trabalhará em Brasília por pelo menos um ano. Depois, iniciam-se ciclos de mudança para o exterior e retornos a Brasília. Normalmente, o diplomata vai para o exterior, onde fica três anos em um Posto, mais três anos em outro Posto, e retorna a Brasília, onde fica alguns anos, até o início de novo ciclo. Mas há espaço para flexibilidades. O diplomata poderá sair para fazer um Posto apenas, ou fazer três Postos seguidos antes de retornar a Brasília. Isso dependerá da conveniência pessoal de cada um. Ao final da carreira, o diplomata terá passado vários anos no exterior e vários no Brasil, e essa proporção dependerá essencialmente das escolhas feitas pelo próprio diplomata. Para evitar que alguns diplomatas fiquem sempre nos “melhores Postos” – um critério, aliás, muito relativo – e outros em Postos menos privilegiados, os Postos no exterior estão divididos em [quatro] categorias, [A, B, C e D], obedecendo a critérios não apenas de qualidade de vida, mas também geográficos, e é seguido um sistema de rodízio: após fazer um Posto C, por exemplo, o diplomata terá direito a fazer um Posto A [ou B], e após fazer um Posto A, terá que fazer um Posto [B, C ou D].
AS PROMOÇÕES
Ao tomar posse no Serviço Exterior, o candidato aprovado no concurso torna-se Terceiro-Secretário. É o primeiro degrau de uma escalada de promoções que inclui, ainda, Segundo-Secretário, Primeiro-
-Secretário, Conselheiro, Ministro de Segunda Classe (costuma-se dizer apenas “Ministro”) e Ministro de Primeira Classe (costuma-se dizer apenas “Embaixador”), nessa ordem. Exceto pela primeira promoção, de Terceiro para Segundo-Secretário, que se dá por tempo (quinze Terceiros Secretários são promovidos a cada semestre), todas as demais dependem do mérito, bem como da articulação política do diplomata. Nem todo diplomata chega a Embaixador. Cada vez mais, a competição na carreira é intensa e muitos ficam no meio do caminho. Mas, não se preocupem e também não se iludam: a felicidade não está no fim, mas ao longo do caminho!
DIRECIONAMENTO DA CARREIRA
Um questionamento frequente diz respeito à possibilidade de direcionamento da carreira para áreas específicas. É possível, sim, direcionar uma carreira para um tema (digamos, comércio internacional, direitos humanos, meio ambiente etc.) ou mesmo para uma região do mundo (como a Ásia, as Américas ou a África, por exemplo), mas isso não é um direito garantido e poderá não ser sempre possível. É preciso ter em mente que a carreira diplomática envolve aspectos políticos, econômicos e administrativos, e que existem funções a serem desempenhadas em postos multilaterais e bilaterais em todo o mundo, e n~o só nos países mais “interessantes”. Diplomatas est~o envolvidos em todas essas variantes e, ao longo de uma carreira, ainda que seja possível uma certa especialização, é provável que o diplomata, em algum momento, atue em áreas distintas daquela em que gostaria de se concentrar.
ASPECTOS PRÁTICOS E PESSOAIS
É claro que a vida é muito mais que promoções e remoções, e é inevitável que o candidato queira saber mais sobre a carreira que o papel do diplomata. Todos precisamos cuidar do nosso dinheiro, da saúde, da família, dos nossos interesses pessoais. Eu tentarei trazem um pouco de luz sobre esses aspectos.
DINHEIRO
Comecemos pelo dinheiro, que é assunto que interessa a todos. Em termos absolutos, os diplomatas ganham mais quando estão no exterior do que quando estão em Brasília. O salário no exterior, no entanto, é ajustado em função do custo de vida local, que é frequentemente maior que no Brasil. Ou seja, ganha-se mais, mas gasta-se mais. Se o diplomata conseguirá ou não economizar dependerá i) do salário específico do Posto , ii) do custo de vida local, iii) do câmbio entre a moeda local e o dólar, iv) do fato de ele ter ou não um ou mais filhos na escola e, principalmente, v) de sua propensão ao consumo. Aqui, não há regra geral. No Brasil, os salários têm sofrido um constante desgaste, especialmente em comparação com outras carreiras do Governo Federal, frequentemente obrigando o diplomata a economizar no exterior para gastar em Brasília, se quiser manter seu padrão de vida. Os diplomatas, enfim, levam uma vida de classe média alta, e a certeza de que não se ficará rico de verdade é compensada pela estabilidade do emprego (que não é de se desprezar, nos dias de hoje) e pela expectativa de que seus filhos (quando for o caso) terão uma boa educação, mesmo para padrões internacionais.
SAÚDE
Os diplomatas têm um seguro de saúde internacional que, como não poderia deixar de ser, tem vantagens e desvantagens. O lado bom é que ele cobre consultas com o médico de sua escolha, mesmo que seja um centro de excelência internacional. O lado ruim é que, na maioria das vezes, é preciso fazer o desembolso (até um teto determinado) para depois ser reembolsado, geralmente em 80% do valor, o que obriga o diplomata a manter uma reserva financeira de segurança.
FAMÍLIA : O CÔNJUGE
Eu mencionei, entre as coisas n~o t~o boas da carreira, “dificuldades no equacionamento da vida familiar”. A primeira dificuldade é o que fará o seu cônjuge (quando for o caso) quando vocês se mudarem para Brasília e, principalmente, quando forem para o exterior. Num mundo em que as famílias dependem, cada vez mais, de dois salários, equacionar a carreira do cônjuge é um problema recorrente. Ao contrário de certos países desenvolvidos, o Itamaraty não adota a política de empregar ou pagar salários a cônjuges de diplomatas. Na prática, cada um se vira como pode. Em alguns países é possível trabalhar. Fazer um mestrado ou doutorado é uma opção. Ter filhos é outra...
Mais uma vez, não há regra geral, e cada caso é um caso. O equacionamento da carreira do cônjuge costuma afetar principalmente – mas não apenas – as mulheres, já que, por motivos culturais, é mais comum o a mulher desistir de sua carreira para seguir o marido que o contrário2.
CASAMENTO ENTRE DIPLOMATAS
Os casamentos entre diplomatas não são raros. É uma situação que tem a vantagem de que ambos têm uma carreira e o casal tem dois salários. A desvantagem é a dificuldade adicional em conseguir que ambos sejam removidos para o mesmo Posto no exterior. A questão não é que o Ministério vá separar esses casais, mas que se pode levar mais tempo para conseguir duas vagas num mesmo Posto. Antigamente, eram frequentes os casos em que as mulheres interrompiam temporariamente suas carreiras para acompanhar os maridos. Hoje em dia, essa situação é exceção, não a regra.
FILHOS
Não posso falar com conhecimento de causa sobre filhos, mas vejo o quanto meus colegas se desdobram para dar-lhes uma boa educação. Uma questão central é a escolha da escola dos filhos, no Brasil e no exterior. No Brasil, a escola será normalmente brasileira, com ensino de idiomas, mas poderá ser a americana ou a francesa, que mantém o mesmo currículo e os mesmos períodos escolares em quase todo o mundo. No exterior, as escolas americana e francesa são as opções mais frequentes,
podendo-se optar por outras escolas locais, dependendo do idioma. Outra questão, já mencionada, é o custo da escola. Atualmente, não existe auxílio-educação para filhos de diplomatas ou de outros Servidores do Serviço Exterior brasileiro, e o dinheiro da escola deve sair do próprio bolso do servidor.
CÉSAR AUGUSTO VERMIGLIO BONAMIGO - Diplomata. Engenheiro Eletrônico formado pela UNICAMP. Pós- graduado em Administração de Empresas pela FGV-SP. Programa de Formação e Aperfeiçoamento - I (PROFA -
I) do Instituto Rio Branco, 2000/2002. No Ministério das Relações Exteriores, atuou no DIC - Divisão de Informação Comercial (DIC), 2002; no DNI - Departamento de Negociações Internacionais, 2003, e na DUEX - Divisão de União Europeia e Negociações Extrarregionais. Atualmente, serve na Missão junto à ONU (DELBRASONU), em NYC.
2 Conforme comunicado do MRE de 2010, é permitida a autorização para que diplomatas brasileiros solicitem passaporte diplomático ou de serviço e visto de permanência a companheiros do mesmo sexo. Outra resolução, de 2006, já permitia a inclusão de companheiros do mesmo sexo em planos de assistência médica.
Para tornar-se diplomata, é necessário ser aprovado no Concurso de Admissão à Carreira de Diplomata (CACD), que ocorre todos os anos, no primeiro semestre (normalmente). O número de vagas do CACD, em condições normais, depende da vacância de cargos. Acho que a quantidade normal deve girar entre 25 e 35, mais ou menos. Desde meados dos anos 2000, como consequência da aprovação de uma lei federal, o Ministério das Relações Exteriores (MRE/Itamaraty3) ampliou seus quadros da carreira de diplomata, e, de 2006 a 2010, foram oferecidas mais de cem vagas anuais. Com o fim dessa provisão de cargos, o número de vagas voltou ao normal em 2011, ano em que foram oferecidas apenas 26 vagas (duas delas reservadas a portadores de deficiência física4). Para os próximos concursos, há perspectivas de aprovação de um projeto de lei que possibilitará uma oferta anual prevista de 60 vagas para o CACD, além de ampliar, também, as vagas para Oficial de Chancelaria (PL 7579/2010). Oficial de Chancelaria, aproveitando que citei, é outro cargo (também de nível superior) do MRE, mas não integra o quadro diplomático. A remuneração do Oficial de Chancelaria, no Brasil, é inferior à de Terceiro-Secretário, mas os salários podem ser razoáveis quando no exterior. Já vi muitos casos de pessoas que passam no concurso de Oficial de Chancelaria e ficam trabalhando no MRE, até que consigam passar no CACD, quando (aí sim) tornam-se diplomatas.
Para fazer parte do corpo diplomático brasileiro, é necessário ser brasileiro nato, ter diploma válido de curso superior (caso a graduação tenha sido realizada em instituição estrangeira, cabe ao candidato providenciar a devida revalidação do diploma junto ao MEC) e ser aprovado no CACD (há, também, outros requisitos previstos no edital do concurso, como estar no gozo dos direitos políticos, estar em dia com as obrigações eleitorais, ter idade mínima de dezoito anos, apresentar aptidão física e mental para o exercício do cargo e, para os homens, estar em dia com as obrigações do Serviço Militar). Os aprovados entram para a carreira no cargo de Terceiro-Secretário (vide hierarquia na próxima seç~o, “Carreira e Sal|rios”). Os aprovados no CACD, entretanto, não iniciam a carreira trabalhando: há, inicialmente, o chamado Curso de Formação, que se passa no Instituto Rio Branco (IRBr). Por três semestres, os aprovados no CACD estudarão no IRBr, já recebendo o salário de Terceiro-Secretário (para remunerações, ver a próxima seç~o, “Hierarquia e Sal|rios).
O trabalho no Ministério começa apenas após um ou dois semestres do Curso de Formação no IRBr (isso pode variar de uma turma para outra), e a designação dos locais de trabalho (veja as subdivisões do MRE na página seguinte) é feita, via de regra, com base nas preferências individuais e na ordem de classificação dos alunos no Curso de Formação.
3 O nome “Itamaraty” vem do nome do antigo propriet|rio da sede do Ministério no Rio de Janeiro, o Bar~o Itamaraty. Por metonímia, o nome pegou, e o Palácio do Itamaraty constitui, atualmente, uma dependência do MRE naquela cidade, abrigando um arquivo, uma mapoteca e a sede do Museu Histórico e Diplomático. Em Brasília, o Palácio Itamaraty, projetado por Oscar Niemeyer e inaugurado em 1970, é a atual sede do MRE. Frequentemente, “Itamaraty” é usado como sinônimo de Ministério das Relações Exteriores.
4 Todos os anos, há reserva de vagas para deficientes físicos. Se não houver número suficiente de portadores de deficiência que atendam às notas mínimas para aprovação na segunda e na terceira fases do concurso, que têm caráter eliminatório, a(s) vaga(s) restante(s) é(são) destinada(s) aos candidatos da concorrência geral.
O IRBr foi criado em 1945, em comemoração ao centenário de nascimento do Barão do Rio Branco, patrono da diplomacia brasileira. Como descrito na página do Instituto na internet, seus principais objetivos são:
harmonizar os conhecimentos adquiridos nos cursos universitários com a formação para a carreira diplomática (já que qualquer curso superior é válido para prestar o CACD);
desenvolver a compreensão dos elementos básicos da formulação e execução da política externa brasileira;
iniciar os alunos nas práticas e técnicas da carreira.
No Curso de Formação (cujo nome oficial é PROFA-I, Programa de Formação e Aperfeiçoamento - obs.: n~o sei o motivo do “I”, n~o existe “PROFA-II”), os diplomatas têm aulas obrigatórias de: Direito Internacional Público, Linguagem Diplomática, Teoria das Relações Internacionais, Economia, Política Externa Brasileira, História das Relações Internacionais, Leituras Brasileiras, Inglês, Francês e Espanhol. Há, ainda, diversas disciplinas optativas à escolha de cada um (como Chinês, Russo, Árabe, Tradução, Organizações Internacionais, OMC e Contenciosos, Políticas Públicas, Direito da Integração, Negociações Comerciais etc.). As aulas de disciplinas conceituais duram dois semestres. No terceiro semestre de Curso de Formação, só há aulas de disciplinas profissionalizantes. O trabalho no MRE começa, normalmente, no segundo ou no terceiro semestre do Curso de Formação (isso pode variar de uma turma para outra). É necessário rendimento mínimo de 60% no PROFA-I para aprovação (mas é praticamente impossível alguém conseguir tirar menos que isso). Após o término do PROFA-I, começa a vida de trabalho propriamente dito no MRE. Já ouvi um mito de pedida de dispensa do PROFA I para quem já é portador de título de mestre ou de doutor, mas, na prática, acho que isso não acontece mais.
Entre 2002 e 2010, foi possível fazer, paralelamente ao Curso de Formação, o mestrado em diplomacia (na prática, significava apenas uma matéria a mais). Em 2011, o mestrado em diplomacia no IRBr acabou.
Uma das atividades comuns dos estudantes do IRBr é a publicação da Juca, a revista anual dos alunos do Curso de Formação do Instituto. Segundo informações do site do IRBr, “[o] termo ‘Diplomacia e Humanidades’ define os temas de que trata a revista: diplomacia, ciências humanas, artes e cultura. A JUCA visa a mostrar a produção acadêmica, artística e intelectual dos alunos da academia diplomática brasileira, bem como a recuperar a memória da política externa e difundi-la nos meios diplomático e acadêmico”. Confira a página da Juca na internet, no endereço: http://juca.irbr.itamaraty.gov.bpt-bMain.xml.
Para saber mais sobre a vida de diplomata no Brasil e no exterior, sugiro a conhecida “FAQ do Godinho” (“FAQ do Candidato a Diplomata”, de Renato Domith Godinho), disponível para download no link: http://relunb.files.wordpress.com/2011/08/faq-do-godinho.docx. Esse arquivo foi escrito há alguns anos, então algumas coisas estão desatualizadas (com relação às modificações do concurso, especialmente). De todo modo, a parte sobre o trabalho do diplomata continua bem informativa e atual.
MEUS ESTUDOS PARA O CACD – http://relunb.wordpress.com
submitted by diplohora to brasilCACD [link] [comments]

Warland Idle journey - Desenvolvimento da semana #2

Warland Idle journey - Desenvolvimento da semana #2
Progresso até o dia 26/07/2020

Estudo e elaboração das fórmulas de evolução

Como todo bom RPG, o design do Warland busca cumprir o objetivo de provocar uma sensação de evolução satisfatória no jogador, nós queremos que o jogador sinta que está ficando mais forte a medida que obtém recursos e evolui no jogo.
Por isso é importante determinar corretamente quantos pontos de vida cada campeão terá em cada nível, quantos pontos de atributos, qual o bônus ele receberá ao subir de ranking e etc.
Nessa semana nós focamos o nosso trabalho em estudar várias opções de fórmulas de atributos e escolher a que funcionaria melhor para transmitir essa sensação ao jogador.

Estratégia ou força bruta?

Nós perguntamos a nossos apoiadores se um time de determinado ranking deveria ser capaz de vencer um adversário de ranking maior, caso a estratégia correta fosse utilizada. A resposta foi unanime:
A estratégia precisa valer mais que a força!
Com esse pensamento em vista, buscamos elaborar os atributos dos campeões de forma que mesmo que seu time seja de um nível mais baixo ou de ranking menor, se você conseguir criar uma boa estratégia, que seja coerente para explorar os pontos fracos do time inimigo, você será capaz de derrotar adversários mais fortes numericamente.

Como será o sistema de evolução do Warland?

Nós queremos que o jogador tenha mais liberdade de escolha e não fique preso por limitações inúteis durante sua experiência, como por exemplo ficar resetando campeões para evoluir outro.
É muito comum em outros jogos uma mecânica onde você gasta moedas para resetar um herói e recuperar os recursos gastos com ele para evoluir outro herói e testar outras estratégias, e nós achamos que se for pro jogador poder ficar trocando o herói ele não deveria precisar ficar clicando em tantos botões desnecessariamente, isso poderia ser mais simples.
Por conta disso, no Warland nós teremos uma evolução muito mais ligada aos edificios da Capital do jogador.

A capital e seus edifícios

https://preview.redd.it/47glorr662d51.png?width=800&format=png&auto=webp&s=e48c2c573643002e3689cfe82961f5a75841a466
No Warland, cada edifício da capital terá um papel muito importante na evolução do jogador:
  • Quartel: O quartel é o lugar onde os campeões se preparam para batalha. O nível do quartel determina o nível de todos os campeões do jogador.
  • Academia: A academia é um lugar de pesquisa e aprendizado das técnicas mágicas que foram herdadas pelos clãs. Evoluir a Academia liberará pontos de talentos para o jogador customizar suas build de heróis.
  • Laboratório Alquímico: O Laboratório é um lugar de estudo sobre a Alquimia, e o seu nível influenciará a força dos artefatos equipados nos heróis.
  • Templo: No templo os campeões absorvem as Pedras das Almas para aumentar seu Ranking e Eficiência de Magia.
  • Trono: O Trono é o lugar onde o Imperador assume seu poder e influencia no seu império. Evoluir o Trono aumentará o nível máximo que pode ser alcançado pelos outros edifícios.
Como vocês podem perceber, no Warland não será possível evoluir os campeões individualmente, em vez disso, o jogador irá evoluir seu quartel, e os campeões terão o mesmo nível do quartel.
Isso permitirá que o jogador tenha todos os heróis acessíveis em nível alto para montar o time que quiser sem precisar ficar resentando nem fazendo malabarismos burocráticos pra explorar os pontos fracos dos adversários.
Nós sabemos que em outros jogos a escolha de evoluir mais um herói do que outro pode ser um fator estratégico interessante, e vamos manter essa possibilidade graças ao sistema de Talentos que irei apresentar pra vocês em um outro post, aguardem.
Além do nível, o Ranking também determinará a força dos Campeões. Em outros jogos vocês podem estar acostumados com o sistema de Ascenção, pois o Ranking é um sistema parecido, porém com algumas particularidades.

Sistema de Rankings e Eficiência

Cada herói possui um Ranking que varia entre:
https://preview.redd.it/knlvyd6a62d51.png?width=800&format=png&auto=webp&s=8070e8f25f68c41b29494190ac4aad42d03450a9
Cada Ranking possui uma Eficiência que varia de 0% a 100%.
O Ranking e a Eficiência aumentam os atributos básicos do herói, que são o poder de ataque, defesa e pontos de vida. Quanto maior o Ranking e Eficiência, mais atributos o herói possui.
Para aumentar a Eficiência é necessário sacrificar outros campeões até ela chegar em 100%, quando a Eficiência chega em 100% é necessário sacrificar uma cópia idêntica do campeão de mesmo Ranking para ele ser promovido para o próximo Ranking (para promoção não importa a Eficiência do campeão sacrificado, apenas o Ranking).
Regras de aprimoramento da Eficiência:
Aprendiz (+0% nos status base):
  • Sacrificar outro aprendiz aumenta bastante a Eficiência
  • Cada 1% de eficiência aumenta os status base em 0.25%
Amador (+50% nos status base):
  • Sacrificar outro aprendiz aumenta um pouco a Eficiência
  • Sacrificar outro amador aumenta bastante a Eficiência
  • Cada 1% de eficiência aumenta os status base em 0.25%
Profissional (+100% nos status base):
  • Sacrificar outro amador aumenta um pouco a Eficiência
  • Sacrificar outro profissional aumenta bastante a Eficiência
  • Cada 1% de eficiência aumenta os status base em 0.25%
Veterano (+150% nos status base):
  • Sacrificar outro profissional aumenta um pouco a Eficiência
  • Sacrificar outro veterano aumenta bastante a Eficiência
  • Cada 1% de eficiência aumenta os status base em 0.25%
Supremo (+200% nos status base):
  • Sacrificar outro Supremo aumenta um pouco a Eficiência
  • Cada 1% de eficiência aumenta os status base em 1%
O Ranking máximo do jogo no lançamento será Supremo 100% onde o herói terá +300% nos status base.
OBS: Esses valores e nomenclaturas ainda podem sofrer alterações até o lançamento

Curvas de Poder

Após todo esse estudo e análise, elaboramos a seguinte fórmula matemática que irá determinar a força do campeão em cada nível do jogo, representamos a fórmula com o seguinte gráfico:
https://preview.redd.it/vnp316de62d51.png?width=983&format=png&auto=webp&s=09aa275303291fa19cb727e5f434c984def9acc7
O Eixo horizontal representa o nível do Campeão e o Vertical representa o seu poder.
Essa fórmula permitirá que mesmo Campeões mais fracos consigam explorar as fraquezas de campeões mais fortes, possibilitando que a estratégia do jogador se sobressaia aos atributos.
Estamos ansiosos pra ver isso funcionando na prática, e obviamente, podemos precisar fazer ajustes até o lançamento do jogo, mas por hora esse foi o resultado do planejamento que fizemos nessa semana e estamos bastante felizes com os testes que realizamos.

Fórmulas de Farm AFK

Farm dentro do capítulo:

A medida que o jogador avança pelo mapa da Jornada, ele tomará o controle de pontos de interesse que irão aumentar seu Farm AFK em determinado recurso:

https://preview.redd.it/4yssgzah62d51.jpg?width=525&format=pjpg&auto=webp&s=4bec5cc6d0bd05939761885bd9cb7e79114f2327
Os pontos de interesse estarão separados por caminhos diferentes, e poderão liberar minas de ouro, zonas de batalha, minas de cristais e outros recursos que serão importantes para a evolução dos edifícios do jogador.
Escolher qual caminho seguir irá impactar na velocidade de produção de cada tipo de recurso, se você estiver precisando de ouro, poderá optar em ir pelo caminho com mais minas de ouro, e assim você terá um controle maior do Farm de recurso que mais precisa.

Farm após completar o capítulo:

Após completar um capítlo da jornada, o jogador tomará o controle do império daquele capítulo, assim poderá escolher um Campeão para ficar de General daquele Império:

https://preview.redd.it/njup328l62d51.jpg?width=525&format=pjpg&auto=webp&s=3b0d294f7cbe97a90412de3825849e9b9b28d8f6
Cada Campeão terá uma profissão, e a profissão do General que você escolher para ficar em determinado império concederá um bônus em determinado recurso produzido ali. Por exemplo, se você colocar um campeão com a profissão “Ourives” como general de um Império, todo a produção de Ouro daquele império receberá um bônus.

Curvas de Evolução

Após todo esse estudo e análise, elaboramos a seguinte fórmula matemática que irá determinar o tempo médio necessário para evoluir o quartel do jogador, representamos a fórmula com o seguinte gráfico:
https://preview.redd.it/sfeq6bum62d51.png?width=1232&format=png&auto=webp&s=1bfdbe87842b87b42abc3635b5cedf734f4bef18
O eixo horizontal representa a quantidade de dias jogados e o vertical o nível médio alcançado.
Percebam que nos primeiros dias de jogo será muito fácil subir de nível, mas a medida que você vai evoluindo vai ficando cada vez mais difícil subir de nível. Isso é uma fórmula clássica presente em todos os RPGs, o nosso trabalho aqui foi o de adaptar esses números para o nosso jogo.

Conclusão

Esperamos que vocês tenham gostado do que viram até aqui, e sintam-se a vontade para nos procurar em nossas redes sociais e grupos para tirar dúvidas ou trazer sugestões.
Fiquem de olho para as novidades que estão por vir ;)

Autor: Ivan Miranda
Revisão: Henrique Camêllo
submitted by hccamello to warlandidle [link] [comments]

Saudades de quando ainda dava pra usar plenamente o celular com apenas uma mão

Saudades de quando ainda dava pra usar plenamente o celular com apenas uma mão

Samsung Galaxy S Vibrant / Samsung Galaxy S7 edge
Sério, eu não me importo de termos celulares grandes e mesmo phablets; aliás até gosto, acho que quanto mais opção, melhor. O problema é nós não termos mais opções de aparelhos realmente compactos, aparelhos que podemos usar plenamente com uma só mão e ainda assim manter uma pegada firme no negócio (EPA!!). O que percebo hoje é basicamente que:
a) se quero manter uma pegada firme no celular, de modo que ele não vá facilmente cair, não consigo usar a tela inteira com uma só mão;
b) se quero usar a tela inteira (ainda com uma só mão) tenho que deixar o celular apenas apoiado sobre a mão e os dedos, não dá pra efetivamente segurá-lo;
c) se quero usar a tela inteira e ainda assim manter uma pegada segura tenho que usar as duas mãos.
Fiz o teste aqui com esse Samsung Galaxy S Vibrant [SGH-T959] da foto e mesmo segurando o celular firmemente meu polegar ainda consegue alcançar quase toda a superfície (>90%) com relativa destreza (se considerar só a tela alcanço toda tranquilamente) - no S7 edge [SM-G935F] além de só alcançar uns 60% da tela (se for considerar a superfície toda cai pra menos de 50%) (segurando o celular firmemente) muitos desses pontos que alcanço são com o polegar de lado, torto, de modo que acabaria tocando em mais coisa do que gostaria.
O foda é que mesmo os aparelhos regulares de hoje já são modelos grandes, e aí vêm as fabricantes e adicionam uma versão "+", que na prática adiciona poucos milímetros em comparação à versão regular. Poxa, se é pra criar uma versão maior então aproveita e diminui a normal, criando uma diferença significativa de tamanho, tendo assim realmente um médio e um grande, e não um grande e um um pouquinho maior. Ainda, a adição de uma versão "mini", "compact", "light" ou como quer que fossem chamar (porque certamente não colocariam um sinalzinho de menos e chamariam de "less" [em contraponto ao "plus"]) seria muito bem vinda. Vejo muita gente reclamando da falta de celulares compactos tão bons quanto os regulares (porque convenhamos, até existem aparelhos pequenos, mas normalmente são versões de entrada, capadas e talz).
E o pior é que agora inventaram de aumentar a relação altura/largura das telas (antes era tudo 16:9, agora tá na faixa dos 18:9 [2:1] com alguns chegando nos 21:9), deixando os celulares ainda mais desproporcionais e desengonçados.
Imagina um celular do tamanho daquele Galaxy S da foto [122,4 × 64,5 × 9,9 mm] (ou até um pouco menor, tenho também um iPhone 3GS que é poucos milímetros menor [115,5 x 62,1 x 12,3 mm] e fica perfeito na mão) com o aproveitamento de tela que temos hoje. A tela em si seria do mesmo tamanho da tela de muitos modelos tidos como médios de uns 3 anos atrás que ainda tinham aquelas bordas grandonas. Sem contar que por o celular ser pequeno (portanto sendo possível segurá-lo de forma confortável) o risco de se esbarrar nas bordas laterais com a palma da mão acidentalmente seriam mínimas (o que pode ser um problema com aparelhos maiores de bordas mínimas).
"Ah, mas aí não dá pra colocar quatro câmeras na traseira". Tudo bem, ninguém precisa disso. Aliás, não seria muito melhor se tivéssemos apenas uma câmera realmente boa e aqueles benefícios das lentes telezoom, ultrawide e afins viessem na forma de acessórios externos? As possibilidades seriam ainda maiores, o celular (teoricamente) ficaria mais barato e liberaria um espacinho extra pra uma bateria maior.
"Mas aí a bateria terá que ser proporcionalmente menor". Paciência. Até porque a tela será menor e consumirá menos energia. A resolução também poderá ser menor (acredito que uma tela HD já seria suficiente pra não percebermos a diferença a olho nu*), o que demandará menos processamento e consequentemente menos energia.
*no S7 edge posso escolher entre HD (720p), FHD (1080p) e QHD (1440p). A verdade é que não tem como perceber diferença entre o FHD e o QHD (esse último só está lá pra usar com o óculos de realidade virtual [e mesmo assim não é alto o suficiente, sem se esforçar é possível perceber os pixels, imagino que teria que ser de 4k pra cima] e pra dizer que tem uma tela com resolução maior, logo "melhor"). O HD dá pra perceber a diferença, mas aí tem que considerar o tamanho da tela (densidade de pixels, que no final é o que conta).
Obs.: obviamente a comparação da foto não foi das mais justas, já que o edge seria meio que a versão plus - o ideal seria comparar com o S7 normal, mas é o que tenho em mãos.
Samsung Galaxy S Vibrant / Samsung Galaxy S7 edge
submitted by CaPeBaLo to brasil [link] [comments]

Benfica - Jogar o melhor Xadrez que as peças permitem

O Benfica atravessa uma fase negativa, que vem sendo apelidada de crise. No entanto, este não é mais do que um arrastar de problemas do final do ano passado.
André Almeida sofre uma lesão de esforço no início da Primavera transacta que vem arrastando até então, de forma intermitente. Tomás Tavares apesar de não comprometer não oferece a profundidade que o seu colega. Notando-se na falta de assistências para golos, que tanto um quanto, levavam o André Almeida em glória com os seus cruzamentos que algum número 10 faria arte.
Por falar em cruzamentos, a saída de Jonas não deixa de ser um marco enorme nesta equipa. A sua inteligência em campo evidente, é muitas vezes elevada ao ponto de esquecermos a ameaça que este era dentro da área adversária. Conseguindo fazer de um simples cruzamento ou passe horizontal uma oportunidade de golo. Mas a sua falta não é a única explicação para o incrível número de cruzamentos sem proveito esta época. Haris Seferovic, canivete suíço, melhor marcador do ano anterior, marcador de alguns golos mais importantes da época (de cabeça frente ao Tondela em casa; de primeira em antecipação frente ao Porto em casa) tem estado apagado. Ou como alguns comentadores dizem não tem estado sequer. Um meco que casou no Verão, foi pai, e se dedicou a outro desporto? Ou talvez já antes, no que podia ter sido uma derrota desesperante na pedreira no final da época anterior. A vitória acabaria por chegar com relativa tranquilidade, mas não ficou ali naquele jogo naquelas oportunidades falhadas a dúvida de como aquele aparente meco seria o melhor marcado da liga. Mas que não fique por aqui esta ligação. RDT e Vinicius contratados no Verão. Negócio do Mendes e o substituto de Félix. Ou nem por isso? De qualquer das formas o Brasileiro que se apresenta imune a contacto físico, não consegue por mais que lhe pedissem fazer a pose após cabeceamento certeiro. O porto riquenho técnicamente dotado, ocupando mal os espaços, ou não sabendo que espaços de facto ocupar. Nisto, as alternativas às peças de Xadrez não sendo inferiores são diferentes. Chiquinho não apresenta a letalidade que Jonas oferecia, nem a ocupação de espaços de João Felix. Apresenta versatilidade e equilíbrio.
No miolo melhoramos dizem uns. Gabriel e Adel foram opções válidas até compreendermos que as suas valias são também suas fraquezas. Adel tenta o drible e o transporte de forma exemplar no entanto no momento da perda (por vezes de outros) estará inevitavelmente em terrenos superiores. Gabriel não obstante tende a procurar passes em profundidade e isto leva o da mesma forma a estar por vezes em situações expostas. O que acontece quando a bola é perdida? Pressão imediata! Porque a contenção em espaços elevados é ineficaz e isto faz com que... Se bem sucedido a recuperação à bola é tida rapidamente, se mal sucedida a equipa é exposta e em 2 dribles temos o adversário na nossa área. (veja-se o jogo com o Famalicão em casa). E o problema disto? É o balanço. Somos a equipa que mais concede dribles durante o jogo. Ou seja, fazemos do posicionamento subido dos nossos médios uma fraqueza ao invés duma vantagem. Sabem porque que Florentino era dos jogadores com mais recuperações de bola pelo Gloriosos? Porque fazer contenção permite-te atacar a bola de forma temporizada. E sabem o que lhe permite fazer contenção? Exatamente, passar para o lado e para trás. Não subir no terreno de forma imprudente, nem atacar sem pensar primeiro como irei defender. Retomemos a linha que terminou a reconquista. Defesa a 4. Médios defensivos: Tino e Samaris. Médios ala: Rafa e Pizzi. Avançados: Haris, Félix. O que hoje nos parece uma linha com medo, defensiva, era no ano anterior uma linha atacante, feroz e vencedora. De 2 médios defensivos que raramente tentavam o drible (Florentino não percorra com a bola nos pés mais do que 10 metros), temos hoje 2 médios voltados para o ataque. Mas voltemos a Adel, que era ano passado tido como hipótese para segundo avançado, para o lugar de Felix caso fosse necessário é hoje um elemento essencial no meio campo. Como é que um jogador desequilibrador nato, que busca o drible, pode ao mesmo tempo ter a obrigação de no momento da perda fazer contenção e recuar no terreno.
Nas alas, um elementos surpresa aparece Cervi, que genica tem este menino. Reage à bola como um cão reage à vida, mete o pé sempre que for preciso, mas continua a não ser um extremo. Quando alguns comentadores vêm dizer que Cervi procura o drible, a finta, o tango argentino. Eu digo que alguém viu o Cervi de outros anos. A procura pelo 1 contra 1 é reduzido e quando obrigado tenta de imediato o passe para Grimaldo ou o cruzamento imediato. Excelente ala, fraco extremo. Acredito que com treino faria o papel do espanhol com fulgor. Até me arrisco a dizer que uma lesão ou venda do espanhol poderia levar Cervi a reinventar-se. Mas não faltam alternativas, ou será que faltam? Quando no início se diziam com extremos em excesso olhamos hoje para o plantel e rapidamente percebemos que não temos extremos que nos ofereçam uma alternativa séria. Cervi, Rafa, Zivko, Jota é curto quando 1 não conta e outro está demasiado verde. Se queremos jogar com um Pizzi em terremos mais centrais quer como segundo avançado, quer como terceiro médio (na prática o 442 difere do 433 ao ter um jogador da zona central que sobe mais), não temos ninguém para o lado direito. Aliás chegou-se ao ponto de se colocar Chiquinho na Ucrânia na direita, enquanto que Pizzi tomava o lugar central. O problema é ainda mais grande quando Cervi só joga do lado esquerdo. Uma linha que recolocasse Pizzi no miolo teria de incluir Cervi do lado esquerdo, Rafa do lado Direito, 2 Médios de Controlo (Weigl +Samaris/Tino) e um segundo avançado/médio de criação (Pizzi, Adel, Chiquinho).
Mas nem tudo piorou. Ou seria estranho, dado o Verão pressionante. Ody melhorou drasticamente de uma ano para o outro, jogando bem com os pés, defendo entre os postes de forma sólida mas mais importante que isso saindo dos postes com firmeza, muitas vezes até da grande área.
Bem, ignorem a parede de texto. Metam mas é o Samaris ou o Tino em campo. E o Ferro sempre foi assim, lento, mau no 1 contra 1, fraco no ar. Este sistema simplesmente o obriga a estar mais exposto a 1 contra 1. Aliás este sistema retira tudo de bom que ele tem. Bom de bola, com passes longos, mas enquanto que antes o Tino lhe passava para ele construir, a bola vai para o Adel driblar (e bem). E se o próprio Adel está subido, Ferro é o primeiro homem a travar o ataque adversário. Ah e não sejamos deuses com Vinicius. Vinigol é mau (péssimo) a pressionar. Sabem como se é pior que o Haris? A defender! A não ser que a bola caia ao pé dos defesas próximos este não corre para ocupar espaços. Ah, aprendam a jogar de cabeça e joguem direto. Contra o porto e o Shaktar foi notório a quantidade de bolas perdidas no nosso meio campo por um pontapé de baliza nosso porque teimamos em jogar curto! Querem jogar com o Adel? Perfeito! Metam no a segundo avançado, e ensinem no a ganhar duelos aéreos que ele tem altura! Ody bola na frente! Vini e Adel são suficientes! Segunda bola? Cervi, Samaris, e Tino tratam disso.
Dito isto. Espero que ignorem tudo isto. E sigam a vossa vida sabendo que mais um inergume gosta de mandar bitaites quando está no café a ver o Slb a perder.
submitted by rafaelgiro to benfica [link] [comments]

Alternativas privadas e seguras aos serviços de armazenamento de arquivos na nuvem e sincronização entre dispositivos - serviço intermediário de criptografia ou hospedagem própria?

Atualmente tô usando o Microsoft OneDrive via Office 365 e gosto bastante do serviço - é simples de usar, funciona bem e é extremamente barato (paguei uns R$ 150 Reais e o negócio dá direito a 6 TB na nuvem [na verdade dá acesso a até 6 usuários, cada um com 1 TB], além de acesso ao MS Office). Entretanto fico preocupado/desconfortável com a questão do acesso que a Microsoft tem aos meus arquivos.
Assim, até onde sei tenho basicamente quatro duas opções se eu quiser continuar usando a nuvem e a sincronização com meus dispositivos e um acesso relativamente fácil/direto mas mantendo um bom nível de privacidade sobre os arquivos:
a. Usar alguma ferramenta pra intermediar e criptografar o acesso. Assim, tudo a que a Microsoft tiver acesso estará criptografado.
b. Partir pra uma nuvem selfhosted (hospedar própria).
c. Usar algum serviço de armazenamento na nuvem com foco na privacidade do usuário, como o pCluod. na verdade tirei essa opção porque o preço desses serviços não é barato considerando a cotação do dólar (US$ 100 no pacote anual ou US$ 350 no vitalício).
d. Criptografar manualmente com uma ferramenta como VeraCrypt. também tirei essa porque não me parece uma opção prática, uma vez que: ou terei que criptografar grandes quantidades de arquivos, de modo que quando eu quiser acessar algum terei que baixar e descriptografar tudo, ou terei que criptografar arquivo por arquivo, o que é inviável se considerarmos dezenas/centenas de milhares de arquivos. E em ambos os casos eu teria que fazer a desencriptação manualmente, né (o que acaba se mostrando algo extremamente contraproducente para arquivos de uso diário)?
Pois bem, aí me vêm algumas dúvidas:
  1. Se eu partir para o Cryptomator (ou ferramenta similar) como fica se eu quiser acessar meu OneDrive de um computador desconhecido? Considerando que não terei o Cryptomator instalado para intermediar (descriptografar) conseguirei acessar meus arquivos?
  2. Ainda na hipótese do Cryptomator, como faço para acessar meus arquivos - preciso baixá-los para então visualizar o conteúdo ou consigo visualizá-los na nuvem mesmo (como já funciona regulamente)?
  3. No caso do selfhosting, como exatamente isso funciona?
3.1. É realmente viável?
3.2. Preciso deixar o computador ligado 24/7?
3.3. É interessante ter uma máquina exclusiva pra isso, né? É preciso algo parrudo ou um i3 com 4 GB de RAM dá conta? E quanto ao armazenamento - o negócio de alguma forma se beneficia de um SSD ou um HDD de 5400 RPM já é mais que suficiente?
3.4. Preciso usar algum serviço de terceiros ou dá pra fazer tudo por conta própria, sem intermediários?
Desde já agradeço a ajuda, e fico à disposição para maiores informações.
submitted by CaPeBaLo to brasil [link] [comments]

O que fazer na Praia da Enseada em Guarujá

O que fazer na Praia da Enseada em Guarujá
Se você está planejando visitar o Guarujá, provavelmente ouviu falar da praia da enseada, ou até mesmo pretende se hospedar nela, afinal além de ser a praia mais extensa da região é também a que possui mais opções de hotéis, pousadas, hostels, aluguel por temporada, restaurantes e atrativos turísticos. Neste artigo vamos trazer algumas dicas sobre o que fazer na praia da Enseada em Guarujá, então prepare o seu roteiro…

Aquário do Guarujá – Acquamundo

O Aquário do Guarujá é sem dúvidas uma ótima opção de passeio na praia da Enseada, principalmente para as crianças que adoram, mas isso não quer dizer que também não seja um excelente atrativo para os adultos.

https://preview.redd.it/fgjzmmsx8xq41.jpg?width=960&format=pjpg&auto=webp&s=38c57a2e24dbe2ddc8b65c2d8c4b84b7d813de3c
Com uma ótima infraestrutura, o Acquamundo conta com um enorme aquário marinho e mais de 45 recintos, sendo um dos maiores aquários de água salgada da América do Sul.
O aquário possui uma enorme diversidade de vida marinha, onde é possível conhecer uma enorme variedade de animais marinhos, invertebrados e aves, répteis e muitos outros.
Uma das suas maiores atrações no aquário é o mergulho interativo, uma atividade esportiva de caráter turístico que visa proporcionar a oportunidade em interagir com diversos animais marinhos de diferentes espécies.
Em meios ao tubarões, mas é claro, com o auxílio de um instrutor de mergulho que irá lhe guiar neste passeio altamente prazeroso e que pode ser tornar inesquecível.
Com certeza o Acqua Mundo é um dos passeios que não pode faltar no seu roteiro. Para saber sobre o aquário, veja este artigo com mais informações, dicas e fotos:
Conheça o Acqua Mundo – Aquário do Guarujá

Mirante Morro do Maluf

O Mirante Morro da Campina, mais conhecido como (Morro do maluf), é outro passeio no qual você não pode deixar de conhecer.

https://preview.redd.it/ewfnxuv19xq41.jpg?width=768&format=pjpg&auto=webp&s=26ef6928ca6e6a31159409f35577dc6d29d3770a
Além de esportes radicais como: escalada, rappel e paraglaider, o mirante possui uma vista incrível e de tirar o fôlego, sendo possível apreciar a bela praia da Enseada praticamente de ponta à ponta.
O morro do Maluf é um daqueles pontos turísticos com parada obrigatória e não registrar uma foto no mirante, é como se não tivesse visitado o Guarujá.
Recentemente o Mirante foi todo revitalizado e hoje conta com corrimões e total acessibilidade, além de mais a segurança e iluminação a noite.
Na última temporada, a secretaria de turismo promoveu atrações no pôr do sol com música ao vivo, cada semana uma músico convidado, tornando a visita ao mirante algo ainda mais prazeroso e encantador.
Fica á dica, se ainda não conhece o Morro do Maluf, não deixe de incluir no seu roteiro.
Para saber como chegar, dicas e fotos, veja este artigo completo com informações sobre o mirante.
Conheça o Mirante Morro do Maluf

Restaurantes na Praia da Enseada

A gastronomia em Guarujá é algo magnífico, é possível encontrar muitas opções de restaurantes de diversas iguarias e culinárias.
São inúmeras a variedades de restaurantes, desde os mais requintados e renomados até os mais comuns. Alguns contam com música ao vivo durante a noite.
Os mais conhecidos são os localizados na própria orla da praia da Enseada, veja algumas opções:

Restaurante Dati –

Possui um bar descolado-chique e espaçoso com terraço, bilhar, e um menu contemporâneo de hambúrgueres artesanais e pizzas.

Restaurante Dona Eva –

Gastronomia em frutos do mar, além de massas e carnes com toque caseiro em ambiente familiar com vista do mar.

Restaurante Hangar –

Com mesas na calçada ou em salão envidraçado acolhem o bife à parmegiana como carro-chefe, além de outras opções.

Rufino’s –

Tem uma gastronomia com foco em peixes e frutos do mar, diversos tipos de bebidas e sobremesas, com vista para o mar.

Dalmo Bárbaro –

Oferece opções de saladas, petiscos, frutos do mar, risotos, carnes, frangos, massas, sobremesas, além de diversas especialidades.

Alcide’s –

Este não fica na orla da praia, está localizado na Av. Dom Pedro I e conta com um cardápio de peixes variados e frutos do mar, além de cervejas e sobremesas, em clima tranquilo e intimista.
Bom, já deu pra ver que opções de restaurantes é que não falta na praia da Enseada.

Aluguel de pranchas e aulas de surfing

Para uma maior diversão na praia, ao longo de toda a extensão da praia da Enseada é possível encontrar escolas de surfing que oferecem desde aulas práticas e teóricas, até aluguéis de pranchas por hora.
Algo que pode tornar a sua viagem ainda mais divertida é também uma possibilidade de praticar um esporte e conhecer um pouco mais a sensação do mundo do surfe.
Agora se você é daqueles que prática surfing e já pega onda, as melhores ondas estão estão nas praias do Tombo, Praia do Pernambuco, Praia de Pitangueiras e Praia de São Pedro.

Locação de bicicletas e triciclos

Outro atrativo bem interessante e descontraído é a possibilidade de locação de bicicletas e triciclos para um delicioso passeio pela orla da praia.
Como a praia da Enseada é mais extensa de Guarujá, com cerca de 6 quilômetros de orla, é também a praia que conta com a maior ciclovia da região, sendo possível conhecer a praia de ponta a ponta.
Se não sabe andar de bicicleta ou está em família, não tem problema. Pois também é possível locar triciclos e assim fazer uma passeio ainda mais divertido.

O que fazer a noite

Após curtir uma deliciosa praia durante o dia, agora é hora de saber o que fazer a noite. E saiba que na praia da Enseada opções não é o que não faltam.

Restaurantes

Como já citamos anteriormente, são inúmeras as opções de restaurantes que agradam os mais variados paladares, gostos e bolsos.
Alguns deles contam com música ao vivo, principalmente no período alta temporada.
Uma boa opção é o St. John`s Beer Store & Pub, um Pub Irlandês que conta com um ambiente aconchegante, pratos, porções e lanches deliciosos, chopp importado e rótulos de cervejas artesanais, além de música ao vivo de boa qualidade.

A feirinha de artesanato da Enseada

Uma boa opção também de o que fazer a noite na praia da Enseada é dar uma passada na feirinha de artesanato, que fica próxima a região do aquário.
Apesar de não contar muito com artesanato regional, a feirinha possui lanchonetes, sorveteria e nos fundos algumas opções de brinquedos e atrativos que agradam a criançada.

Centro de Convenções Eventos Casa Grande Hotel e Resort

O centro de convenções do Hotel Casa Grande é outra opção para incluir no seu roteiro de o que fazer a noite na praia da Enseada, principal se for visitar o Guarujá na alta estação.
Lá são realizados inúmeras convenções e muitas atrações, principalmente para as crianças, geralmente são diversos brinquedos, pula pula e piscinas de bolinhas gigante, entre outros atrativos.
Em um espaço ao lado do centro de convenções, são realizadas algumas feiras de food truck com deliciosas opções de lanches, porções e sobremesas.

Caminhada ou passeio de bicicleta pela orla

Pode parecer até sem graça, mas uma simples caminhada pela orla da praia pode ser algo extremamente prazeroso. Afinal, não é sempre que se tem uma deliciosa brisa de mar e uma orla como da praia da Enseada para caminhar. Fica a Dica!
A noite também é possível encontrar opções de locação de bicicletas e triciclos, como citamos anteriormente. Então fica à sua escolha, caminhar ou pedalar.

O que fazer com chuva na praia da Enseada

Bom, com chuva infelizmente as opções de o que fazer na praia da Enseada acabam sendo menores, porém alguns dos atrativos que citamos anteriormente ainda sim podem ser boas opções.
Como é o caso do aquário, bons restaurantes e a feirinha de artesanato.

Confira algumas fotos da praia da Enseada no Guarujá

Veja algumas fotos e belas imagens da praia da Enseada para dar ainda mais aquele gostinho de quero conhecer e curtir essa praia.

1. Um magnífico por do sol na praia da Enseada


https://preview.redd.it/tlahv5w79xq41.jpg?width=960&format=pjpg&auto=webp&s=564caa84dc308807b26d34e2a5eff07c3193cdec

2. Aquele dia de sol maravilhoso que sair da praia se tornar impossível


https://preview.redd.it/3yb1dum99xq41.jpg?width=960&format=pjpg&auto=webp&s=598de49a8acc07229bc8a35d9582980d94a04f08

3. Vai dizer que está vista da praia da Enseada no morro do Maluf não é mesmo incrível



4. Agora a vista do morro do Maluf pela praia


https://preview.redd.it/zrytdvee9xq41.jpg?width=960&format=pjpg&auto=webp&s=fa6d6c3228f4c8d3720c7fa6b7dc95e48e85a762

5. Região do Tortugas – Final da praia da Enseada


https://preview.redd.it/xkjmikuf9xq41.jpg?width=800&format=pjpg&auto=webp&s=42834817929b65e85e2762a33202cc0afdbdd50c

Onde se hospedar na Praia da Enseada

Grande parte dos turistas que planejam visitar o Guarujá, acabam optando por se hospedar na praia da Enseada.
Afinal, além de contar com uma excelente infraestrutura e grande oferta de atrativos, comércios e serviços em geral, na Enseada é onde estão localizados a maioria das opções de hospedagens no Guarujá.
Independe se a sua escolha for por hotel, pousada, hostel ou até mesmo aluguel por temporada, saiba que na praia da Enseada você pode encontrar inúmeras opções.
Caso ainda não tenha reservado a sua hospedagem, veja alguns artigos onde listamos algumas das melhores e mais bem avaliadas opções para se hospedar.
Lista com os Melhores Hotéis na Praia da Enseada Veja também uma lista com as Melhores Pousadas na praia da Enseada
Bom, essas foram algumas dicas com o que fazer na praia da Enseada no Guarujá. Espero que tenha gostado e que possa lhe acrescentar no seu roteiro e ajudar em seu planejamento da sua próxima viagem a praia.
----------------------
Este artigo sobre o que fazer na praia da Enseada foi publicado primeiro em Descubra o Guarujá
submitted by DescubraGuaruja to u/DescubraGuaruja [link] [comments]

Pesadelo da previdência privada

Olá, confome disse em outro tópico, desobri que minha mãe possui posição altíssima em relação ao patrimônio dela em uma previdência privada (PP), que foi recém convertida para tabela regressiva. Isso complica remover o dinheiro dessa furada, visto que será pago 35% do rendimento em cima de valores que estavam rendendo a mais tempo, pré conversão.
Como o perfil dela é conservador (mais precisamente alguém que não quer aprender), as opções são limitadas. Sei que o ideal seria fazer o resgate, comprar ações, FIIs, stocks e REITs (coisa que é adaquada para MIM), mas estamos falando de alguém que não vai estudar. Como fora da previdência privada as opções recomendáveis para ela são muito limitadas (basicamente TD e RF em geral), fica inviável resgatar, pois a perda com IR aniquiliaria qualquer forma de compensar em outros investimentos.
Aceitando que se está preso na PP, e dado o prazo extendido do investimento (10 anos e tomara que nem mais um dia), pensei em sugerir PPs que tentem acompanhar índices mais interessantes que o DI para esse prazo. Pensei em PPs que fiquem perseguindo o IMA-B ou IMA-B 5+ em detrimento aos que ficam na cola do CDI (hoje a PP dela é ruim, mas não criminosa, aproximadamente 100% do CDI). Dado que fundo que rende por volta do CDI é de natureza curto prazo, não faz sentido para mim deixar dinheiro de 10 anos nisso.
O que me preocupa é que, enquanto que o ideal para ela seria ter comprado continuamente NTN-B, tentar replicar essa estratégia na PP seria comprar fundos que seguem IMA-B, que não refletem exatamente POSSUIR NTN-Bs, carregáveis até o vencimento, e sim, necessariamente, ficar brincando de marcação a mercado. No fim das contas, fica, na prática, me parecendo um fundo de renda variável.
A questão fica, como se tem razoável certeza que não haverá nem resgates nem aportes durante esses dez anos, o mais sensato não seria atrelar o fundo ao IMA-B em vez do CDI?
Adicionalmente, irei sugerir colocar pequena porcentagem na PP da Alaska ou do Verde, pelo menos ter algum pé em RV (sim, as taxas de administração detonam a rentabilidade - 1,5% adm, sem taxa de performance -, mas ou é isso ou deixar numa PP 100% CDI a 0,5% de adm).
submitted by RemusBr to investimentos [link] [comments]

➝ Ferramenta VenderNoZap 2020 Funciona? [Saiba TUDO Aqui]

➝ Ferramenta VenderNoZap 2020 Funciona? [Saiba TUDO Aqui]

Ferramenta VenderNoZap 2020
É um poderoso Programa VenderNoZap 2020 que você vai extrair contatos altamente segmentados das redes sociais, de Grupos e por palavras-chave. Ele vai mostrar a sua mensagem, oferta, produto ou serviço para o seu exato público-alvo, pronto para comprar.
Logo após ele envia mensagens automáticas (que você define como preferir) via Whatsapp para todos esses contatos segmentados capturados. Tudo isso de forma cirúrgica e levando as suas conversões nas alturas!

Programa VenderNoZap Baixar? Funciona Mesmo

Olha não sei se você é uma mega empresário, um microempresário, um simples autônomo, médico, personal trainner, dono de loja, profissional de marketing ou afiliado de produtos digitais.
Sei que você precisa de CLIENTES, VENDAS E FATURAMENTO - assim como sei que é isso que separa você de atingir os seus maiores sonhos.
Todo negócio, seja ele gigante ou individual, tem na sua base a captação de clientes. E é exatamente nisso que vamos te ajudar! O que é necessário entender: precisamos estar onde nossos clientes estão! E hoje em dia onde estão todas as pessoas? (Incluindo os seus clientes). No Whatsapp!
E se eu te falar que existe uma ferramenta que busca o seu EXATO PÚBLICO-ALVO nas redes sociais e entra em contato de forma segmentada e automática através do Whatsapp? Isso seria muito bom, ótimo ou maravilhoso?
As 3 opções né? Agora deixa eu te contar: a nossa ferramenta faz exatamente isso! Imagine que você tem uma loja de roupas na cidade de São Paulo.
Tudo o que você precisa fazer é digitar, por exemplo, ''MODA SP'' e o nosso software vai vasculhar toda a internet! Tudo com poucos cliques do mouse e de forma simples. E qualquer dúvida que você tiver, daremos todo o suporte para usar da melhor forma e ter resultados incríveis.
Após extrair os seus contatos (clientes prontos para comprar seu produto ou serviço) tudo o que você precisará fazer é enviar a sua mensagem ou oferta para eles!
E a taxa de abertura de mensagens em whatsapp é de cerca de 98%, ou seja, praticamente todos vão ler. Pronto!
Em apenas 2 passos você tem o poder de 50 secretárias divulgando o seu produto ou serviço na região que você deseja (ou até mesmo em todo Brasil ou mundo se preferir). Tem ideia do poder disso?
E você poderá divulgar quantos produtos ou serviços desejar! Para qualquer público e de forma ilimitada.
Como funciona na PRÁTICA?
Você vai receber o acesso ao programa, instruções para instalação e uso correto e vai ter um manual com um passo a passo bem fácil e completo.
BUSCAR CONTATOS:
O programa gera combinações numéricas usando o DDD que você escolher e identifica quais são telefones ativos, gerando listas de contato com esses telefones. Assim você poderá atingir possíveis clientes da sua região.
Outra maneira é através do extrator do facebook, que possibilita extrair contatos do facebook através de grupos, páginas, amigos e amigos de amigos. Esse recurso gera listas de contatos com nome, gênero, cidade/região, e-mail (que você pode usar para e-mail marketing, se quiser) e telefone.
Assim você poderá atingir seu público-alvo. Além das listas de contatos que você vai buscar com esses recursos, também poderá usar listas de contatos que já tenha (sua lista de clientes, por exemplo).
ENVIAR MENSAGENS:
O programa vai te possibilitar enviar mensagens de forma automatizada através do whatsapp!
É como se tivesse alguém trabalhando para você, terá um robô fazendo isso por você. Vai inserir a lista de contato, configurar a mensagem que deseja enviar e iniciar o disparo. Pronto!
O programa enviará as mensagens para todos os contatos da lista. Você vai poder configurar a mensagem que quiser (texto, imagem, arquivo), divulgar o que quiser (caso você tenha mais de uma empresa, mais de um produto que queira divulgar) e usar no dia que quiser na hora que quiser.
CHATBOT (“AUTO RESPONDER”)
É uma poderosa ferramenta do VenderNoZap, se não a mais importante! Adianta demais as vidas dos usuários e de seus clientes. É capaz de automatizar e otimizar diversos procedimentos e/ou perguntas e respostas de possíveis dúvidas sobre produtos/serviços, podendo lhe gerar diversas vendas automáticas sem gastar o seu tempo.

Sem Bloqueios de conta de anúncios

Para quem trabalha com Marketing Digital, mercado de afiliados ou marketing de rede um dos maiores desafios são os bloqueios das contas de anúncios no Facebook Ads e Google Ads, já que alguns tipos de produtos ou serviços (apesar de totalmente legais) são proibidos de serem anunciados.
Lá, por exemplo, você não pode anunciar uma imagem de antes e depois para nada. E se eu te falar que no whatsapp não existe essa limitação? Ótimo né? O sonho de qualquer profissional de marketing, afiliado ou produtor.
A nossa ferramenta não conta com essa limitação, assim como você pode atingir muito mais pessoas e com um investimento muito menor.
E sabe o melhor? Você pode criar quantas campanhas quiser e atingir pessoas de forma ilimitada sem custo adicional. Pode fazer testes e testes de campanha sem medo de rasgar dinheiro.

O que inclui?

- Suporte para dúvidas
- Vídeo aulas ensinando a instalar e a usar da melhor forma (passo a passo, rápido e fácil)
- Todas as atualizações sem custo adicional
- Extração de contatos segmentados
- Envio ilimitado de mensagens - Utilização normal do seu computador enquanto roda
- Super leve e ocupa pouquíssima memória do seu PC
- Divulgue qualquer produto/serviço de qualquer nicho e quantos quiser
📷
SITE OFICIAL Programa VenderNoZap Baixar? Funciona Mesmo? VEJA VERDADE AQUI...
VER AQUI MAIS: 👇
https://origemfatos.com/ferramenta-vendernozap-baixa
submitted by wagnerteixeira2 to u/wagnerteixeira2 [link] [comments]

Decisões

Tenho um background académico em ciências da vida e neste último ano fiz investigação na área. Ja terminei o curso há 3 anis e ainda não consegui um emprego estável pelo que comecei a considerar que está na hora de aprendar mais do que o mercado pede, isto é IT.
Posto isto, comecei há procura e estou agora com 4 opções:
1 - um bootcamp the Java grátis em que dão uma pequena bolsa mensal. São 3 meses de teoria e 6 de treino on job com o cliente. Como o cliente esta a financiar o bootcamp, há uma cláusula que obriga a que no final tenha de trabalhar com ele 9 a 12 meses ou reembolsar 8000€.
2- uma empresa consultora de IT que da formação e-learning em Java, Python, Cobol e SQL so que desde o início que já pagam salário e dão contrato. Não e nada de mais dão 950€ brutos + SA + seguro de saúde em Lisboa mas tendo em conta que estaria a aprender não e mau. Mais uma vez no fim da formação (neste caso 3 meses) teria de trabalhar 2 anos para a empresa ou reembolsar 3000€ (again parece justo).
3 - fazer uma pos graduação em bioinformática. Já falei disto cá, ia aprender línguas como Java, Python, R e ciência de dados bem como algumas disciplinas aplicadas a biologia. Custa 1200€ por um ano.
4 - continuar investigação neste caso com um laboratório que me iria ensinar Phyton e R. No entanto a pessoa que me iria ensinar é de bioquimica e aprendeu por ela própria e é aplicado ao que fazem. Alem disso iriam esperar que eu me candidatasse a doutoramento com eles em breve. O problema aqui é que iria ficar "presa" 4 anos a ganhar 980€ sem segurança social. E podia esquecer tentar arranjar um PhD lá fora que fosse mais bem pago. A vantagem é que ia aprender sem ter que pagar.
Acho que a longo prazo não ia gostar de ser developer. Teria mais interesse em business analysis ou em bioinformática ou data science aplicada a ciências sociais. A questão e que mesmo para fazer bioinformática preciso de aprender o base e a proposta da empresa seria boa porque seria paga para aprender com profissionais e teria de imediato experiência prática. Não gosto da ideia de ficar presa a um sitio mas também não tenho muitos recursos.
Gosto de investigação mas estando já há 3 anos no mercado de trabalho começo a ficar farta de ambientes de trabalho de merda, chefes bullies e nunca ter dinheiro para nada. Por outro lado, pergunto-me se a longo prazo não é mais diferenciador um doutoramento em bio IT do que ser mais uma consultora de IT. Mas se calhar estou a pensar de forma errada.
Opiniões?
submitted by Shadowgirl7 to portugal [link] [comments]

Plantel Benfica 2019/2020 - Ataque ao 38

Plantel Benfica 2019/2020 - Ataque ao 38
Como ainda não existe um lugar em que se possa debater o plantel próxima época, e com o início dos trabalhos a chegar, estou a criar aqui esse espaço, com o intuito de fazer algo um pouco diferente:
  • Mais opinativo e com o intuito de perceber qual a vossa opinião em relação a como deveria ser composto o plantel para a época 19/20
  • Dar a conhecer todos os jogadores que neste momento se encontram nos quadros do Benfica
  • Perceber que posições deveriam ser reforçadas e quais os jogadores que gostariam de ver com o manto sagrado
  • Oferecer a minha opinião pessoal

Vou começar por identificar todos os jogadores disponíveis para se apresentarem na pré-época 19/20:
https://preview.redd.it/b9dcz48xi4731.png?width=1653&format=png&auto=webp&s=2bcda82dae54f055cf704045ae16ed9a1a0456e5
Resumindo, Bruno Lage terá a sua disposição 50 jogadores. Relembro que entretanto o Benfica já confirmou a saída de alguns jogadores e garantiu a presença na fase de grupos da Champions, tendo portanto realizado um encaixe de 135M:
  1. Talisca (Guangzhou Evergrande) - 5.8M emp + 19,2M venda = 25M
  2. Raul Jimenez (Wolverhampton) - 3M emp + 38M venda = 41M
  3. Luka Jovic (Eintrach Frankurt) - 7M venda + 13M fut. transf. = 20M
  4. Dawidowicz (Hellas Verona) - 3M venda
  5. Salvador Agra (Légia Varsóvia) - 0,5M venda
  6. Nélson Semedo (Barcelona) - 5,1M clausula
  7. Entrada directa na fase de grupos da Champions - 42M
Realçar que está eminente a saída de João Félix e de Carrillo para as arábias, o que resultaria num encaixe de mais 135M para os cofres do Benfica.
Em relação a entradas estamos perto de garantir Raul de Tomas por 20M ao Real Madrid, já garantimos Cádiz ao Setúbal e Caio Lucas a custo zero.
Antes de começar a minha reflexão sobre o plantel do Benfica para esta época, e de modo a justificar um pouco a minha visão, fiz a mesma com a premissa que estamos em ano de Europeu e com um treinador que não irá fazer má figura na Europa.

Baliza :
  • Odysseas Vlachodimos chegou este ano e pegou de estaca. Correu-lhe melhor a primeira metade da época que a segunda, muito por causa do futebol medíocre que praticámos e consequente processo defensivo. Sou da opinião que para consumo interno serve, para atacar a Champions não. Foi campeão, é titular da sua selecção e está valorizado. Se surgir uma boa proposta seria interessante aproveitar a oportunidade.
  • Mile Svilar foi a nossa segunda opção mas tarda em demonstrar todo o seu potencial. Penso que a pressão que tem no Benfica neste momento não lhe é favorável, embora não gostasse de o descartar em definitivo. Um empréstimo a uma grande escola de guarda redes como o Rio Ave (por 2 anos dando-lhe estabilidade para se desenvolver) seria ouro sobre azul.
  • Bruno Varela, o patinho feio para os adeptos. Não é mau guarda-redes, mas não serve para o Benfica. Deveria ser emprestado para um campeonato periférico (Grécia, Turquia, Arábias) com uma clausula a rondar os 5M para se correr bem ser facilmente batida. Enquanto escrevia este texto Varela foi emprestado ao Ajax*
  • André Ferreira e Zlobin, dois produtos do Seixal que contam para as inscrições na UEFA. Zlobin tem potencial para ser muito bom guarda-redes e não sei se não lhe faria bem um empréstimo para ser testado. André tem qualidade (e demonstrou-a no ínicio de temporada ao serviço do Aves) mas não para o Benfica. Um dos dois terá de ser o 3º guarda redes para este ano. Se sair Vlachodimos ficariam os dois, na sombra do que chegaria. Depois de este post ter sido publicado, e embora nao vá alterar o plantel final, André Ferreira foi confirmado em definitivo no Santa Clara\*

Apesar de não ser uma posição carenciada de reforços a verdade é que, para um Benfica que almeja algo mais que o campeonato interno, é necessário um improvement. Vlachodimos tem qualidade, mas não está ao nível do Benfica que tem de lutar por um lugar entre as 8 melhores equipas da Europa.
A minha ideia seria Wuilker Fariñez, tem 21 anos e é um dos mais promissores guarda-redes do mundo. O venezuelano tem até a vantagem de jogar num parceiro nosso, o Millonarios. Aquilo que tem demonstrado nesta Copa América, e não só, demonstra que é mais um daqueles casos que não engana - tal como Oblak ou Ederson não o conseguiríamos manter por mais do que 2 anos. Durante esse período para além de contarmos com um excelente guarda-redes, teríamos um miúdo na sua sombra a crescer e outro fora de portas mas a ser acompanhado bem de perto. Outra excelente opção, mas bastante improvável, seria Andriy Lunin guarda-redes do Real Madrid e campeão Mundial sub-20 pela Ucrânia.

Lateral Direito :
  • André Almeida é o meu patinho feio do 11 titular do Benfica. E, de facto, há alguma validade para que o seja. Ainda assim é inegável que André Almeida tem estado a bom nível e tem números que o comprovam. É um jogador com anos de casa, com experiência em momentos de glória e de decepção e perfeitamente integrado com os valores Benfiquistas, que tanta falta faz ao plantel. Hoje, André Almeida é subcapitão da equipa e duvido que alguma equipa fosse capaz de dar pelo 34 um valor monetário que chegasse sequer próximo do valor que o Benfica lhe dá.
  • Ebuehi é uma incógnita. Apesar de ser internacional pela selecção da Nigéria ainda nada mostrou ao serviço do Benfica devido à grave lesão que o fez perder toda a época. Não sei se terá cabimento uma das vagas do plantel ser dele, mas tem na pre-época uma oportunidade para agarrar o lugar e descansar os adeptos em relação à sua qualidade.
  • Pedro Pereira formado no CFC, saiu em 2015 para a Sampdoria e de lá, já com experiência na Serie A, regressou ao Benfica para se impor na equipa principal. Infelizmente, as expectativas saíram defraudadas, visto que mostrou muito pouco para quem tanto prometia. Assim sendo, foi emprestado este ano ao Génova, onde acabou por se impôr como titular. Não sei se é cedo para desistir de Pedro Pereira, mas a verdade é que do que vi dele nada me agradou.
  • Alex Pinto apesar de prometer muito, ainda não deu o salto que se esperava, e já lá vão duas épocas de equipa B. Não tem qualidade suficiente para integrar a primeira equipa, mas, dado que só tem 20 anos, não é altura de desistir já dele. Ficar na equipa B também não faz sentido, dado que há miúdos talentosos para promover. Um empréstimo é o que faria mais sentido. Enquanto escrevia este texto Alex Pinto foi emprestado ao Gil Vicente.\*

LFV já veio afirmar que não vai contratar para as laterais, o que olhando para o quadro em cima e tendo em conta que o treinador é Bruno Lage (tanto jogador que renasceu com ele) não é de todo descabido. No entanto numa equipa como o Sport Lisboa e Benfica, a titularidade sustentada de um jogador como Almeida é o rosto da mediocridade.
Da maneira como o Benfica de Bruno Lage joga precisamos de uma autêntica locomotiva, que tenha uma boa qualidade técnica e que seja agressivo a defender. Como tal deixo aqui três nomes :
  1. Sabaly do Bordeaux e Senegal
  2. Alvas Powell do Cincinnati e Jamaica.
  3. Com o decorrer do Mundial sub-20 houve outro jogador que me chamou à atenção, embora jogasse como ala numa defesa a cinco. Falo de Konoplia, que para além de ser muito forte nas transições (devido à sua velocidade) tem uma grande capacidade de decisão somando 4 assistências.
Enquanto escrevia fomos brindados pela notícia que Daniel Alves não irá permanecer no PSG. Será que é possível invés de gastar 3M num Cádiz (sem querer tirar qualidade ao jogador), investir mais num jogador de créditos firmados como este? Será que um dos melhores laterais direitos da história poderá estar interessado em ingressar num clube como o Benfica ou ainda quererá um clube com ambições de vencer a Champions?

Lateral Esquerdo :
  • Grimaldo é um fora de série. Muitas pessoas não dão valor a Grimaldo por causa de alguns erros defensivos que comete, mas jogar com Grimaldo a lateral esquerdo é como ter lá um médio, tamanha a criatividade e a inteligência do espanhol. Além disso, tem uma técnica acima da média. Se jogasse noutro campeonato, estou certo que seria já internacional espanhol há muito tempo. Grimaldo é um exemplo de boa gestão no Benfica. O jogador chega à equipa principal num grau de maturidade alto mas longe do seu potencial máximo, e, atingido o seu potencial máximo, dá duas ou três épocas ao clube (ou mais). Depois dá o salto deixando os cofres cheios para investir num substituto. A verdade é que, mesmo tendo só 23 anos, já cá está há 3 épocas e meia. É portanto natural que se pense em deixá-lo voar. Não sei se o valenciano abandonará o clube esta época ou não. Se sair, terei muita pena, mas compreenderei, sendo indispensável um reforço digno desse nome. Se ficar, teremos que ficar felizes porque iremos usufruir deste craque mais um ano
  • Yuri Ribeiro e Pedro Amaral são dois jogadores na mesma linha. Yuri Ribeiro fez uma boa época no ano passado, no Rio Ave, e, face à saída de Eliseu, ocupou o seu lugar. Porém, Yuri foi um daqueles jogadores que sentiu o peso da camisola, demonstrando não ter o que é necessário para representar o Benfica. A aposta, em teoria, faz sentido. Yuri, não sendo um craque, parecia ter qualidade suficiente para substituir Grimaldo quando fosse necessário, com o bónus de ser da nossa formação. Só que, na prática, correu mal. Não censuro a escolha, censuro o facto de termos atacado a segunda volta sem arranjar outro jogador para o lugar dele, e censurarei se ele fizer parte do plantel da próxima época.Pedro Amaral é um ano mais novo mas também é ligeiramente inferior. Não é mau jogador, mas também é insuficiente. O erro que foi apostar em Yuri seria repetido se o seu substituto fosse Amaral.
  • Existe ainda na equipa sub-23 Frimpong e Nuno Tavares (muito promissor) e tivemos emprestado Matheus Leal ao Real Massamá. Não acredito que nenhum seja aposta a curto prazo, sendo que os dois miúdos formados no Seixal estão verdes e o brasileiro não conta.

Assim sendo, se Grimaldo não sair, obrigatoriamente, temos de ir ao mercado reforçar a lateral esquerda com um jogador para ser sombra do titular. E logo aqui as afirmações de LFV deixam de fazer sentido. Não sei como é possível termos um Presidente que todos os anos dá tiros nos pés parecendo não querer aproveitar todo o potencial que o Benfica tem, com medo que alguém perceba o quão grande esta instituição realmente é e lhe venha roubar o lugar.
Na minha opinião deveríamos atacar um destes alvos:
  1. Pedro Rebocho tem 24 anos, é também ele made in Seixal e já é há dois anos um dos destaques da Ligue 1. Porém, a sua equipa, o En Avant Guingamp, irá descer de divisão, pelo que o jogador está algo desvalorizado. Não me parece que Rebocho tenha qualidade para assumir inicialmente a titularidade da equipa. Porém, também não encontro um jogador com melhor perfil e com a qualidade dele para assumir o papel de alternativa.
  2. Sergio Reguilón tem 22 anos e foi formado no Real Madrid. O ano passado discutiu a titularidade com Marcelo mas com a chegada de Mendy não parece que vá permanecer no plantel. Anteriormente já nos demos muito bem com este tipo de negócios (Javi, Rodrigo, Grimaldo) e apesar de envolver uma quantia superior à que teríamos de despender em Rebocho poderíamos já aqui ter o substituto de Grimaldo quando o mesmo sair.
  3. Abdelkarim Hassan, tem 25 anos e é titular do Al-Sadd e selecção Qatariana. Já me tinha chamado à atenção na taça Asiática, dando seguimento com exibições de encher o olho na Copa América. Um defesa com um físico impressionante, forte a defender e com qualidade a sair a jogar. Não deverá ser caro e aposto que seria um achado.
  4. Rubén Vinagre, tem 20 anos, é promissor e não tem minutos no Wolves. Está no carrossel do Mendes e podíamos usar esse factor para o trazer. A montra Benfica nunca teve melhor reputação.

Caso Grimaldo saia, aí sim temos que atacar em força por um substituto digno desse nome. Com esse propósito, surgiram na imprensa alguns nomes mais consagrados casos de Alberto Moreno do Liverpool, Mário Rui do Nápoles e Leonardo Koutris do Olympiakos.
Mais uma vez a minha opinião recai sobre o plantel dos blancos, falo de Theo Hernandez. Um jogador que iria envolver um esforço financeiro enorme (avaliado em 20M) e a lutar contra grandes nomes na Europa (parece que está a ser disputado por Leverkusen e Roma) mas que nos permitiria ter um lateral superior a Grimaldo. Além disso é um jogador que não é opção no Real e está desvalorizado, pelo que a menor pressão de jogar frequentemente no Benfica e demonstrar todo o seu valor seria do seu agrado.
Em suma, o Benfica deveria ir ao mercado por um lateral esquerdo, ou dois, dependendo da manutenção de Grimaldo. Se Grimaldo sair, espero que não haja displicência na sua substituição, pois Grimaldo é um dos jogadores mais preponderantes na nossa equipa. Sobre o suplente, confesso que tenho algum receio que a estrutura tenha demasiada fé em Nuno Tavares, pois acredito que ainda não está pronto e pode-se vir queimar um jogador muito talentoso.

Defesa Central :
  • Rúben Dias, o patrão da defesa. Se ainda comete erros de principiante? Comete. Se por vezes demonstra agressividade desmedida? Demonstra. Mas a nossa defesa sem ele sofre muito e atingiu um nível, que apesar de muitos nao o reconhecerem, faz dele indispensável. Para além de nos jogos a doer assumir-se como mais ninguém o faz. Próximo ano temos Europeu e se nao lhe subirmos a cláusula (80M) esta irá ser facilmente batida.
  • Francisco Ferreira, Ferro, foi uma das maiores surpresas da época. Quem o acompanhava, como eu, na equipa B sabia que tínhamos ali um central para os próximos anos. A verdade é que já estava a estagnar na equipa B e em boa altura veio a saída de Lema e Rui Vitória. Ferro trata melhor a bola do que qualquer um dos restantes centrais e, apesar de alguns erros defensivos que ainda comete (normal, dada a falta de experiência), tem tudo para fazer uma carreira de alto nível. Intocável, portanto.
  • Jardel, o nosso capitão. Se para muitos já nao dá mais porque este está velho, eu sou de opinião completamente distinta. O Benfica nao pode perder os pilares do balneário ano após ano, muito menos quando Jardel ficou com uma responsabilidade passada por Luisão. Já vimos que Bruno Lage gosta de rodar a equipa, e Jardel terá muitos minutos nas taças e no campeonato após jornada de Liga dos Campeões. Merece um lugar no plantel da próxima época (assim ele o queira). Porém, é necessário reconhecer que não poderá ter o estatuto de outros tempos, pelo que, no máximo, terá que ser terceira opção para o centro da defesa.
  • Conti, contratado para ser o 3º central, desiludiu. Foram muitos os erros de abordagem, alguns até deram em autogolo, o que é ilustrativo que não estava pronto para vir para a Europa. Tem 24 anos, logo não se pode dizer que é um defesa central velho. Assim sendo, pode ainda ser cedo para desistir dele. No entanto, a sua saída tem que acontecer, por empréstimo e preferencialmente no campeonato português.
  • Emprestados temos dois, ambos argentinos. Lema tem 28 anos e chegou este época a custo zero. Veio classificado como um dos melhores centrais da Liga Argentina, e, para ser sincero, não duvido que tal seja verdade. Sempre que jogou demonstrou a sua qualidade e nao fosse a sua, injusta, expulsão contra o Porto as coisas poderiam ter sido diferentes. O outro argentino é Lisandro Lopez, chegou ao Benfica há 6 anos rotulado como uma grande promessa, mas nunca se impôs totalmente. Embora não seja mau jogador, dado que já tem 29 anos, não me parece sensato considerá-lo para o futuro do Benfica.
  • Lystsov, desde Outubro que está em recuperação depois de uma rotura do ligamento cruzado e ainda não há prazo para regressar. Está com 23 anos e já conta com uma pré-convocatória para a selecção Russa pelo que qualidade nao lhe falta. Tendo em conta que vem de um ano sem praticar, acho que seria preferencial ficar como 4º central/titular na B enquanto recupera forma com o plus de conceder experiência a uma jovem equipa.
  • Kalaica está no ponto para subir à primeira liga. O croata é o capitão da equipa B e, após 3 anos lá, não aprenderá mais. Agora, é preciso alguma reflexão sobre como gerir este rapaz, porque só fará sentido integrar Kalaica na equipa principal se ele tiver minutos. Uma coisa é certa, Kalaica tem de sair da equipa B, até porque há muito talento a precisar de uma vaga.

Esta é possivelmente a posição em que o Benfica está mais bem servido e continuará a estar após a saída dos dois centrais agora titulares. David Zec, Pedro Álvaro, Nóbrega e Gonçalo Loureiro fazem todos parte da geração de 2000 e se continuarem a evoluir como tem acontecido, e com minutos nas pernas, serão opções a médio prazo.
O problema é que dos 8 centrais que referi em cima, no início da próxima época, acredito que poderão ainda cá estar, no máximo, 4 deles.
  1. Rubén Dias e Ferro devem continuar a titulares no Benfica de Lage e, se mantiverem a qualidade, consequentemente na selecção nacional no Europeu 2020. Com isto deverá ser muito difícil manter os dois após o final da próxima época. Muito menos quando temos um vendedor ambulante como Presidente.
  2. Lema e Lisandro já não devem regressar ao plantel, ambos têm interessados na América do Sul e podemos/devemos recuperar o investimento feito em ambos.
  3. Jardel não segue para novo, não tendo capacidades para ser titular neste Benfica.
  4. Conti e Kalaica estão verdes, e mesmo que ambos os empréstimos corram bem não significa que estejam prontos para assumir a titularidade do Benfica, enquanto que Lystsov é uma incógnita.
Tendo em conta este cenário não sei se não será necessário apalavrar já um jogador de créditos firmados para a próxima época. David Luiz poderá ser perfeito, até porque, com a idade que tem, começará a entrar em declínio em breve, sendo que quando começasse a decair, já outros jovens valores estavam mais que prontos para assumir o lugar. Rúben Semedo seria outro nome interessante. Português, Benfiquista e ainda novo. Está completamente desvalorizado em Espanha e querem desfazer-se dele. Seria uma excelente oportunidade pois considero que tem qualidades muito boas para a posição e para aquilo que Lage pretende.

Meio Campo :
  • Começo por Fejsa pois qualquer Benfiquista sempre o respeitará, embora possa ser altura de reconhecer que o ciclo dele pode ter chegado ao fim. Fejsa sempre foi um fantástico trinco, mas nunca teve uma capacidade de construção por aí além. Só que agora é essencial ser pelo menos competente na construção para funcionar no sistema de Lage. Para piorar, fisicamente, Fejsa está muito débil. Foram anos maravilhosos mas, com uma proposta adequada, infelizmente poderá aceitar-se a sua saída.
  • Samaris e Florentino são dois jogadores semelhantes sendo que ambos são competentes na sua função, embora um seja melhor a construir e outro a destruir. Ambos são muito bons nas funções mais defensivas, com algumas diferenças no estilo, dado que Florentino tem uma técnica defensiva impressionante (não me lembro de alguém igual) e Samaris, não sendo tão bom tecnicamente, compensa com agressividade no sentido positivo. Samaris junta ainda uma qualidade de passe e leitura de jogo fora do normal para um jogador naquela posição. Ter os dois à disposição é fantástico, pois permite ao Tino crescer sem tanta pressão com um jogador muito mais batido e que ainda por cima está perfeitamente identificado com o clube. Juntos, não funcionam tão bem. Com Gabriel ao lado, complementam-no perfeitamente.
  • Gabriel foi uma contratação de risco, dado que se investiu 10M€ num jogador relativamente desconhecido. A época até nem começou muito bem, uma vez que o homem era o oposto do que Rui Vitória queria num médio mas, felizmente, com Bruno Lage, acabou por provar o seu valor. Para um sistema com dois homens no meio campo, é imprescindível um jogador como Gabriel: bom na pressão e na recuperação, fantástico na construção. Assim sendo, ainda bem que temos um jogador assim.
  • Gedson Fernandes começou muito bem a época e perdeu um bocadinho com a entrada de Lage. Não é anormal, atenção. Gedson é um box-to-box puro, sendo que ainda pode fazer várias posições no meio campo. Assim sendo, é normal que tivesse algumas dificuldades com este novo sistema pois para Bruno Lage não basta ser competente na posição. Lage é inteligente e saberá o que fazer com o Gedson, e Gedson é muito talentoso (tenho muitas esperanças nele) e certamente agarrará um lugar, seja no meio campo a dois, seja encostado à linha ou atrás do avançado. É um jogador diferente de Samaris, Florentino e Gabriel, e dará muito jeito numa época longa.
  • Krovinovic é um caso estranho. Chegou lesionado do Rio Ave e depois de uma travessia pelo deserto em termos de minutos agarrou o lugar num meio campo a 3 e foi o melhor do Benfica com apenas uns meses de competição, até à lesão. Desde que regressou, está completamente fora de forma. Não sei explicar o que aconteceu mas é preciso agir. Uma hipótese é emprestar-lo e permitir que recupere a forma e a confiança num clube que precise de um craque como o Krovi (parece que este é o caminho pois falasse num empréstimo ao Vitória). Outra hipótese é o próprio Lage conseguir reabilitá-lo na pré-época. Seja como for, ficar mais uma época a estagnar na bancada não pode ser uma opção. Na minha opinião, e tendo em conta que não acredito que Krovino se adapte a este meio campo a dois,o melhor seria um empréstimo para Inglaterra ou Alemanha com uma cláusula alta (25M).
  • Taarabt, o marroquino ganha logo pelo facto de ser versátil, pois tanto poderia ser falado juntamente com os extremos ou juntamente com os avançados. Mas todos conhecemos a história dele. Chegou rotulado de craque problemático, e fez jus à segunda adjectivação. Andamos a pagar um balúrdio e, portanto, ele só tinha que ser profissional, algo que não aconteceu. Tudo mudou esta época. Lage chegou e conseguiu motivar o marroquino, tornando-o uma opção. É impressionante a capacidade que ele tem de romper linhas com um passe. Portanto, sendo ele um jogador tão dotado, e tendo ainda mais um ano de contrato, é de aproveitar. Já que o salário dele será pago de qualquer maneira, não se perde nada em aproveitar o homem desportivamente.
  • Do rol de emprestados, há dois que claramente não têm lugar no Benfica – Chrien e Dálcio. O eslovaco é mau, claramente não valia o milhão que o Benfica pagou por ele e está a mais no Benfica. O segundo foi um negócio que se aceita, na mesma óptica de Nelson Semedo. Foi barato, por isso, se resultasse era fantástico e, não resultando, não é grave.
  • Keaton Parks, David Tavares e Alfa Semedo são jogadores interessantes. Dado o excesso de médios que temos, talvez não dê para os integrar, mas merecem uma hipótese na pré-época. Keaton é um jogador melhor a construir que a defender. Já o Alfa apesar de ser um jogador muito intenso em Janeiro Lage descartou-o. Em ambos há lacunas, acima de tudo defensivas, mas tenho curiosidade para saber como se integrariam no Benfica de Lage. David Tavares é um animal que irá acabar no plantel mas para já está verde. Acredito que o ideal seria um empréstimo para voltarem.
  • O outro emprestado deveria fazer a pré-época. Infelizmente, na sua transição para sénior, apanhou o treinador errado. Tenho receio que, agora que ele já vai com 22 anos acabados de fazer, seja tarde. No entanto, é um pivot super natural, encaixando que nem ginja neste sistema táctico. Com Lage, talvez ainda se faça jogador, por isso, não perdemos nada em integrá-lo. Estou a falar de Pedro Rodrigues, Pêpê.

Havendo tantas e tão variadas opções, eu diria que não é necessário contratar ninguém para o meio campo. Ainda por cima quando, como no caso da posição central da defesa, temos tanto talento à espera no Seixal - Vukotic, Diogo Pinto, Tiago Dantas e David Tavares.
No entanto gostaria de deixar aqui um nome - Willie Clemons, tem 24 anos e é jogador do Bodens BK e internacinal pelas ilhas Bermudas. Não será um investimento de risco e pareceu-me um médio super intenso, muito completo tanto a defender como no transporte e a queimar linhas.

Meio Campo ofensivo :
  • Rafa, foi possivelmente o melhor jogador do Benfica nesta temporada. Com Rui Vitória nunca conseguiu mostrar toda a sua qualidade (pecando muito na finalização), mas agora, com Lage, está a um nível estratosférico. O melhor de tudo é que, depois da eminente renovação, parece que iremos ter jogador para as próximas temporadas.
  • Pizzi, é um extremo diferente, mais criativo que desequilibrador, e sem o achar um fora de série acaba por ser fulcral neste 4-4-2 que nos últimos 4 anos nos fez festejar por 3 vezes. No plantel, não há outro como ele, daí o seu estatuto e importância para a equipa.
  • Caio Lucas é outro que quase garantidamente fará parte do plantel, pois é um reforço que foi garantido em Janeiro. Conheço muito pouco sobre ele, mas dizem que é um desequilibrador puro. Como cartão de visita, traz número muito interessantes esta temporada: 5 golos e 11 assistências em 2100 minutos (cerca de 23 jogos).
  • Cervi. Prometeu muito quando chegou ao Benfica mas a realidade é que foi dos jogadores que mais sofreu com a era Rui Vitória (ainda por cima na fase mais importante da sua evolução), isto porque pensou que a sua função era ser competente a defender e dar intensidade ao jogo. Agora que é preciso ter maturidade táctica, Cervi não a tem. Assim sendo, com tanto talento na posição, não sei bem o que vai acontecer. A verdade é que se JJ fosse o treinador a posição de Defesa Esquerdo ficaria fechada com a adaptação de Cervi. Com Lage não sei se isso acontecerá, mas que era o ideal, era!
  • Sobre Salvio é difícil, sempre sobreviveu da capacidade de explosão para desequilibrar. Nos tempos áureos, era uma verdadeira máquina, sendo que, não obstante a sua falta de inteligência futebolística, conseguia causar estragos em qualquer defesa. Para melhorar, sempre foi também um extremo com muito golo. Só que esses tempos parecem ter acabado. As lesões sucessivas tiraram-lhe a grande virtude e agora Salvio é um jogador banal. Para piorar, não encaixa no sistema de Lage. É um dos mais bem pagos do plantel e o seu rendimento não condiz, de todo, com o seu salário. Havendo tanta qualidade nas alas e tanta diversidade, talvez seja altura de Benfica e Salvio seguirem rumos diferentes. O problema é que Salvio já é um dos pilares do balneário, com mais tempo de casa e parece viver o Benfica como nós. E num balneário cheio de miúdos são necessárias referências que possam transmitir a mística.
  • Jota e Willock estão numa fase semelhante da evolução. Ambos são Reis na equipa B, ambos desesperam por uma oportunidade na equipa A. Jota já teve algumas oportunidades, mas muito esporadicamente. Willock ainda nem isso. Penso que estejam ainda ambos verdes para o patamar Benfica pelo que um empréstimo com V de volta poderia ser importante na sua evolução. No entanto, e tendo o Benfica tanto talento nesta posição, emprestar Willock no Championship, embora com uma clausula de compra alta, poderia ser muito interessante.
  • Zivkovic é uma das grandes decepções do ano. Com Rui Vitória, oscilou sempre entre a bancada e a titularidade nao existindo qualquer tipo de equilíbrio. Agora, com Lage, eu estava convencido que Zivkovic iria finalmente explodir. Falso. Por isso, dado que começa a ficar caro ficar com Zivkovic, era uma boa altura para o sérvio sair. Provavelmente, iremos ter uma reedição do caso Jovic (por isso, se o emprestarem, cuidado com as cláusulas que lhe metem), mas manter Zivkovic não é saudável nem para o Benfica nem para o jogador.
  • André Carrillo é um craque. Os Benfiquistas não o valorizam porque as expectativas eram altas (afinal de contas, era a estrela do rival) e Rui Vitória pouco contou com ele, mas a verdade é que Carrillo é um craque. É um extremo diferente de todos os que temos, mais cerebral mas ao mesmo tempo desequilibrador, e por ser tão diferente, Rui Vitória não sabia o que fazer com ele. Aposto que Lage sabe, mas dado que ele está relativamente valorizado também aposto que nao regressará das Arábias.
  • Benitez é jogador do carrossel. Foi um negócio, onde para se renovar com um tinha de vir outro, danoso para o clube. Seja como for, o que vi do mesmo na pre-época até nem pareceu mau. Um jogador mais ao estilo de Pizzi que dos outros. Mas a verdade é que por onde tem passado não tem rendido, e nao acredito que vá ser agora. Para sair.
  • Diogo Gonçalves, na formação era um extremo desequilibrador que sempre teve muito golo. Foi por isso que ganhou a chance de fazer parte da equipa principal na época passada. Infelizmente, não resultou, e foi emprestado não tendo corrido bem a experiência em Inglaterra. Enquanto escrevia esta analise soube que vai ser emprestado ao Famalicão, e não podia estar mais de acordo.\*

Resumidamente, não chega não trazer ninguém para as alas ofensivas. É preciso cortar alguns jogadores, para abrir vagas para miúdos que desesperam por oportunidades, e para libertar orçamento para posições que realmente precisam de ser reforçadas.
No entanto, mais uma vez, gostaria de deixar aqui um nome - Carlos Antuna de 21 anos, jogador do Manchester City, Mexicano. É um jogador muito semelhante ao antigo Salvio - destro a jogar como ala direito, capacidade de explosão e velocidade felina. Ainda por cima tem um faro de golo impressionante, a quantidade de vezes que aparece em zonas de finalização após se ter desmarcado da marcação é surreal para um extremo. E tem-no comprovado agora na Gold Cup onde já leva 4 golos e 2 assistências em apenas 3 jogos. Vai ser uma estrela

Frente de Ataque :
  • Seferovic, tem muita capacidade de trabalho e de sofrimento e tem uma mentalidade competitiva enorme. Além disso, é um excelente jogador de equipa, sendo muito inteligente em campo e ideal para o estilo de Bruno Lage. Infelizmente, falha num dos aspectos mais importantes de um avançado: a finalização. É exasperante a quantidade de golos que o suiço falha. Não se exige que marque um golo a cada oportunidade, mas às vezes Seferovic precisa de 3 ou 4 bolas claríssimas de golo para meter um, e isso, no futuro, pode custar títulos. Assim, sou da opinião que aparecendo algum clube dê por Seferovic um valor superior ao seu real seria de aproveitar.
  • Jonas, o mago brasileiro está envelhecido e muito débil fisicamente, mas a verdade é que é o maior responsável por o Benfica se ter aguentado durante a era de Rui Vitória. Acabou a época com uma média muito próxima de um golo por 90 minutos. Acho que a decisão de acabar a carreira ou não, só ele a deve tomar, mas acho que Jonas ainda pode ser muito útil, até porque já se viu que Jonas funciona não só como 9 mas também como construtor.
  • Cristian Arango foi mais um daqueles reforços que devia deixar os adeptos revoltados. Para quem não se lembra, chegou no ano passado, e, numa época em que precisávamos de reforçar imensos setores, foi o nosso reforço mais caro. Expectavelmente não tem qualidade para representar o Sport Lisboa e Benfica. Por isso é altura de deixar de gastar vagas de empréstimo em Portugal com ele. Alan Júnior é outro reforço para o carrossel que nunca deveria ter vestido o manto sagrado, estão ambos a mais no Sport Lisboa e Benfica.
  • Heriberto Tavares, extremo de origem tornou-se um avançado móvel que nos sub-21 resultou muito bem, sendo que poderia funcionar com Bruno Lage. Tenho ideia que poderá ser uma alternativa viável a Seferovic embora tenha a mesma incapacidade a finalizar que o Suíço, mas acho que merecia pelo menos fazer a pré-época.
  • Facundo Ferreyra, foi emprestado por ano e meio mas parece que o Espanhol não tem interesse em mantê-lo. Gostaria que Lage lhe concedesse a oportunidade de fazer a pre-época, embora tenha noção que foi Lage quem o dispensou em Janeiro.
  • Jhonder Cádiz, contratado ao Vitória de Setúbal depois de boa época em Portugal. Até posso estar enganado, mas não me parece jogador para o Benfica. Aliás, após as palavras do Presidente parece ser mais um para o carrossel.

Na frente, temos de ir ao mercado obrigatoriamente. Mas têm de ser reforços a sério. Um deles tem de ser um titularíssimo, outro um miúdo com enorme potencial. Na formação temos uma preocupação semelhante pois os miúdos dos planteis B, sub-23 e júniores não parecem ter potencial para um dia figurarem no plantel principal do Benfica.
Raul de Tomas parece estar perto de assinar, e Cádiz já assinou. Com a saída de Félix ficamos órfãos do nosso prodígio, e sabendo que não é possível arranjar um substituto nem por sombras semelhante, temos de repescar Chiquinho. Seria um reforço fantástico, pois poderia jogar no meio ou ainda poderia fazer de Pizzi. Já conhece a casa e foi o melhor jogador do campeonato extra-grandes.

Plantel final
(O post estava muito grande, portanto continua no comentário! Sorry!)
submitted by JoaoRambo13 to benfica [link] [comments]

Saquei 16 mil dólares e tive a conta limitada pela corretora!  Vida de Trader Profit One na Prática - Grade de Cotações - YouTube Mercado de OPÇÕES para iniciantes! - YouTube Corretoras de Opções Binárias bloqueiam contas lucrativas? Superando IBOV com Venda de Opções na prática  Ao Vivo ...

conta de prática de opções binárias Uma conta demo de opções binárias é a melhor maneira de praticar negociação de opções binárias. Com uma conta de demonstração sem depósito, você pode fazer negócios usando dados de mercado em tempo real. Isso significa que você pode aprender a negociar e desenvolver uma estratégia ... A maior parte dos corretores fornece-lhe uma conta de negociação de opções binárias em poucos minutos e pode começar a negociar quase de imediato. Antes de abrir uma conta de negociação de opções, deve fazer alguma prospeção ao nível dos corretores de opções binárias existentes e escolher o mais indicado para si. Conta de prática de negociação de opções Uma conta demo de opções binárias é a melhor maneira de praticar negociação de opções binárias. Com uma conta de demonstração sem depósito, você pode fazer negócios usando dados de mercado em tempo real. Isso significa que você pode aprender a negociar e desenvolver uma estratégia ... O saldo da conta de prática é operado com grandes volumes. Quando você negocia na conta de prática, os investimentos que você faz são provavelmente centenas ou milhares de dólares. ... (ESMA), a negociação de opções binárias e digitais só está disponível para clientes categorizados como clientes profissionais. AVISO GERAL DE RISCOS. Binary Conta De Prática Binary Conta De Prática, este corretor de opções binárias vem de uma longa tradição de websites de jogo e negociação online. A experiência coletada ao longo de todos os anos reflete-se na plataforma de negociação da Binary Conta De Prática, que disponibiliza alguns dos produtos financeiros mais exclusivos no mercado.

[index] [6793] [3572] [1848] [2335] [6579] [6471] [5555] [7600] [3292] [7377]

Saquei 16 mil dólares e tive a conta limitada pela corretora! Vida de Trader

Em respostas às muitas perguntas relacionadas a bloqueios e limites de conta na IQ Option. ----- ️ Siga nossas redes sociais: INSTAGRAM: https:/... As análises e tomadas de decisão dentro do mercado financeiro para serem eficientes devem levar em conta as principais informações dos ativos. Dados como var... Quer saber mais sobre opções? https://blog.clear.com.br/como-operar-opcoes/ Quer corretagem zero para investir na Clear Corretora? https://cadastro.clear.com... Se você quer saber como é feito o cálculo de suas operações com Opções, esse vídeo é a melhor opção! 🤪😂 Se você está na bolsa de valores e optou por operar n... Olá pessoal, mais um mês de excelente rentabilidade com venda de opções superando o principal índice da bolsa brasileira. Acesse o site op2s.com.br e veja gr...

https://forex-turck.aukingmining.pw